Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Tempo de debates

Iasp promove discussão sobre direitos da mulher

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp), fará uma noite de palestras para discutir os direitos da mulher. A reunião acontece, no próximo dia 9 de março, às 18h, em São Paulo.

Os temas de debate serão: Lei Maria da Penha; Violência Doméstica e Familiar; A Mulher na Carreira Jurídica; O Papel da Mulher no Exercício da Arbitragem e A Mulher no Direito Penal.

A presidente do instituto Maria Odete Duque Bertasi fará a abertura do evento, que terá como palestrantes a deputada estadual Célia Leão; as desembargadoras do Tribunal de Justiça de São Paulo, Angélica de Maria Mello de Almeida e Maria Cristina Zucchi; a presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas de São Paulo, Ana Amélia Mascarenhas Camargo e a vice-presidente do Iasp, Ivette Senise Ferreira.

Serviço:

Comemoração ao Dia Internacional da Mulher
Data: 9 de março de 2009 às 18h
Local: Sede da Iasp —Rua Libero Badaró, 377 – 26º andar – Centro – SP
Informações sobre o evento: (11) 3106-8015

Com informações da Assessoria de Comunicação da Iasp.

Revista Consultor Jurídico, 28 de fevereiro de 2009, 9h20

Comentários de leitores

1 comentário

Sugestão para o seu debate

www.eyelegal.tk (Outros)

Violência de gênero é aplicar prisão em flagrante para lesões corporais leves, é excluir o procedimento do Juizado Especial Criminal, é a criminalização do marido ou companheiro expondo-o ao ridículo na família perante os seus filhos e a sociedade por parte de mulheres que usam a Lei Maria da Penha para expulsar o marido do lar, depois provocarem intencionalmente uma agressão, levando-o a perder a cabeça.
O Presidente do STF agora vive falando em Justiça de conciliação. Cadê a reconciliação do casal na Lei Maria da Penha? Porque a suposta ofendida não pode se retratar e de onde foi que tiraram que a ação é pública incondicionada?
Vamos começar um movimento para acabar com essa história. Quando um casal vai às tapas, isso é perfeitamente compreensível em qualquer sociedade de pessoas ignorantes e ocorre até no meio de pessoas esclarecidas. Estão querendo fazer o marido ou companheiro de palhaço dentro do seu próprio lar?
Maria da Penha não tem nada a ver com isso porque foram várias tentativas de homicídio e não uma briga de casal. Acabem com essa história porque isso gera conflitos mais graves e mais violentos do que se essa Lei não existisse.
Essa é uma lei feita por pessoas que querem a destruição da família.
Essa lei é exatamente como disse o Juiz Rodrigues, um monstro tinhoso desagregador da família. É inconstitucional, ilegal, imoral e engorda.

Comentários encerrados em 08/03/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.