Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prêmio de Qualidade

CJF cria prêmio para soluções criativas para o Judiciário

O Conselho de Justiça Federal está lançando o Prêmio de Qualidade Judiciária Ministro Djaci Falcão. O concurso, feito em parceria com a Ajufe — Associação dos Juízes Federais, vai premiar trabalhos de juízes, procuradores e servidores do Judiciário e do Ministério Público.

Os vencedores receberão R$ 20 mil. Para participar, os interessados devem fazer a inscrição gratuitamente no site da

Justiça Federal.

Serão premiados projetos e soluções criativas para racionalizar procedimentos cartorários, promover a economia de recursos, agilizar a entrega da prestação jurisdicional e ampliar o acesso à Justiça. O concurso é divido em três categorias: Projetos, Iniciativas de Sucesso e Monografias.

O prêmio foi estabelecido pela Resolução 478 do CJF e deve ser feito anualmente.

Veja como devem ser apresentados os trabalhos inscritos

Monografias

Introdução

Delimitação do objeto — estabelecer o assunto, sem deixar dúvidas quanto ao campo / atividade que abrange.

Objetivos e Metas — o propósito do trabalho e como se pretende desenvolvê-lo.

Desenvolvimento

Desenvolver o trabalho com objetividade e clareza.

Identificação do problema, análise das principais causas e plano de ações de melhorias e resultado esperado.

Resultados e benefícios alcançados.

Comparação, através de dados estatísticos (se for o caso), de maneira a comprovar a eficácia das ações no alcance dos objetivos propostos.

Conclusão

Apresentação sucinta dos resultados do trabalho, ressaltando o alcance de sua contribuição, bem como o mérito alcançado.

Iniciativas de Sucesso

Título e descrição resumida das práticas de gestão.

Os benefícios alcançados.

A indicação do local de sua realização.

Métodos e técnicas adotadas no desenvolvimento das ações.

Instrumentos de validação das práticas implementadas.

A abrangência territorial da prática ou do conjunto de práticas.

Data da implementação.

Potencialidade de reprodução.

Projetos

Descrição da metodologia.

Forma de Gestão do Projeto.

Estratégia de Implantação.

Alcance social do projeto.

Tempo médio para implantação.

Unidade que deve ser responsável pelo gerenciamento e validação do projeto.

Formatação dos textos (nas três categorias)

Utilizar fonte Times New Roman 13 e tamanho de folha A4.

Introdução e conclusão (até três páginas cada), desenvolvimento (até 20 páginas).

Colocar em anexo: formulários criados, normas, manuais ou aplicativos desenvolvidos, quando for pertinente.

Para efetuar a inscrição é obrigatório o envio do relatório do trabalho no formato protegido pdf (*.pdf) ou Rich text file (*.rtf).

As referências bibliográficas devem obedecer às normas da ABNT.

O preenchimento da ficha de inscrição é imprescindível para a inscrição no prêmio. No Portal da Justiça Federal também estão disponíveis para consulta a Resolução 478 do CJF, que institui o prêmio, com a íntegra do seu regulamento e a portaria do coordenador-geral da Justiça Federal, que prorroga o prazo para inscrições.

Revista Consultor Jurídico, 29 de novembro de 2005, 21h22

Comentários de leitores

1 comentário

Presume-se que as soluções criativas sejam dest...

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Presume-se que as soluções criativas sejam destinadas a melhoria do funcionamento do Poder Judiciário. Partindo-se deste príncipio, NÃO EXISTE QUALQUER SOLUÇÃO CRIATIVA que possa melhorar o atual Poder Judiciário. Tudo que se fizer será mera protelação. NÃO EXISTE SOLUÇÃO CRIATIVA PARA UMA JUSTIÇA FALIDA. VAMOS DEIXAR DE ILUSÕES. A NOSSA MESQUINHA CAPACIDADE DE FAZER AS COISAS CERTAS NÃO PERMITIRÁ QUE A NOSSA JUSTIÇA FALIDA PASSE A UMA CONCORDATA SUSPENSIVA E VENHA, FINALMENTE, CONSOLIDAR SEUS DÉBITOS PARA COM SEUS USUÁRIOS. QUANDO UMA EMPRESA VAE A GARRA, FECHA-SE E ABRE-SE OUTRA, NOVA, SEM VÍCIOS E MALANDRAGENS. ISTO É QUE NECESSITAMOS FAZER COM O NOSSO PODER JUDICIÁRIO. FECHAR O FALIDO E COMEÇAR UM NOVO PODER JUDICIÁRIO,QUE SEJA INFORMATIZADO, OBRIGATORIEDADE DE SENTENÇAS LIQUIDAS QUE NÃO NECESSITEM DE SUA EXECUÇÃO (NOVO PROCESSO), EXTINÇÃO DO CARGO DE OFICIAL DE JUSTIÇA PARA CITAÇÃO E PENHORA (PODE SER FEITO PELA PARTE INTERESSADA; INGRESSO NA MAGISTRATURA E PROMOTORIA DEPOIS DE 5 (CINCO) ANOS DE EFETIVO EXERCÍCIO NA ADVOCACIA; APOSENTADORIA DOS MAGISTRADOS SOMENTE POR IDADE, APÓS OS 70 (SETENTA) ANOS, OU POR INCAPACIDADE, FISICA OU PROFISSIONAL; AUTONOMIA DO PODER JUDICIÁRIO, PRINCIPALMENTE FINANCEIRA. ISTO É O PREÂMBULO!!! Mas, sòmente seria possivel se fizermos um novo Poder Judiciário. Precisa dinheiro, que vem do Poder Executivo, que não tem o mínimo interesse no assunto. Assim, por se tratar de uma utopia, deixemos como está para ver como é que fica, que é a solução que damos a todos os nossos problemas institucionais...

Comentários encerrados em 07/12/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.