rol (não exaustivo)
de clássicos jurídicos
da sétima arte 

Direito em tela: 

O maior clássico sobre Tribunal do Júri. Henry Fonda interpreta o jurado número 8, único que tenta lançar nos demais dúvidas sobre a culpa do réu.

12 homens e uma sentença
(1957, Sidney Lumet)

Foi regravado em 1997, estrelando Jack Lemmon.

Dois irmãos são presos e forçados a confessar, sob tortura, um crime que não cometeram. Baseado na história de um dos maiores erros judiciais do país.

O Caso dos Irmãos Naves
(1967, Luís Sérgio Person)

O roteiro se inspirou no livro escrito pelo advogado de defesa dos acusados. Elenco estrelado por Raul Cortez, Juca de Oliveira, John Herbert, Anselmo Duarte e Lélia Abramo.

Na França ocupada pelos nazistas, um oficial alemão é assassinado. O governo
do Reich exige então a identificação e a pena de morte dos autores.

Sessão Especial de Justiça
(1975, Costa-Gravas)

No teatro armado para condenar seis jovens inocentes, o governo colaboracionista edita uma nova lei, com aplicação retroativa.

O filme é baseado no livro de Harper Lee sobre uma cidade cheia de preconceitos no sul dos Estados Unidos na década de 1930.

O Sol é para Todos
(1962, Robert Mulligan)

A história é contada sob a perspectiva de duas crianças cujo pai é um advogado liberal que defende um lavrador negro acusado de estupro.

Alex é líder de uma gangue criminosa. Preso, recebe a proposta de ser cobaia de um de um experimento científico para reprimir seus impulsos destrutivos.

Laranja Mecânica (1972, Stanley Kubrick)

Em troca, teria sua pena reduzida.
A história lança reflexões sobre os limites da remição penal e sobre o uso político e autoritário do instituto.

Edição de arte: Camila Santos
Fotos: freepik.com/Google Imagens