Consultor Jurídico

Juíza homologa plano de recuperação judicial do Grupo Petrópolis

24 de outubro de 2023, 21h59

Por Redação ConJur

imprimir

A juíza Elisabete Franco Longobardi, da 5ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, homologou o plano de recuperação judicial do Grupo Petrópolis, dono de marcas como as cervejas Itaipava, Petra e Crystal. 

Reprodução
Grupo Petrópolis, do empresário Walter Faria (foto), terá dez anos para pagar dívidas
Reprodução

Na decisão, a magistrada sustentou que foram cumpridas todas as exigências legais para a aprovação do plano e destacou a ''maciça votação favorável à aprovação'' da recuperação, ''frente ao objetivo maior de preservação da empresa e sua função social''.

O plano aprovado pelos credores e homologado pela Justiça prevê o pagamento da dívida do grupo, estimada em R$ 5,6 bilhões, em até dez anos, de forma integral e com correção monetária.

"Com a homologação do plano de recuperação pela Justiça, o Grupo Petrópolis ganha a capacidade de retomar investimentos em suas fábricas em todo o Brasil, aumentando a produção", afirmou a empresa por meio de nota. 

Processo 0835616-92.2023.8.19.0001