Abuso de direito

Uber deve indenizar motorista descredenciado sem motivo, decide TJ-SP

Autor

24 de janeiro de 2023, 11h44

Por verificar ofensa ao princípio da boa-fé contratual, a 32ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a Uber Brasil a indenizar um motorista que foi descredenciado da plataforma sem qualquer motivo relevante. A reparação por danos morais foi fixada em R$ 10 mil.

Reprodução
ReproduçãoUber deve indenizar motorista descredenciado sem motivação válida, decide TJ-SP

A Uber também responderá pelo aviso prévio, com valor a ser apurado em liquidação de sentença. Segundo os autos, a Uber teve oportunidade de apresentar as razões do desligamento do autor, mas não o fez, limitando-se a alegar ausência de relação de consumo, autonomia da vontade, liberdade contratual e validade dos termos de uso da plataforma.

No entendimento da turma julgadora, ainda que a empresa não seja obrigada a manter o motorista em sua rede de fornecedores, a exclusão sem justificativa válida fere o princípio da boa-fé contratual, previsto pelo Código Civil, além de contrariar preceitos constitucionais.

"O descredenciamento do autor se deu contra disposição do artigo 5º, LV, da Constituição Federal e artigo 57 do Código Civil, caracterizando abuso de direito contra quem dependia da remuneração percebida pelos serviços prestados, para si e para alentado núcleo familiar", disse o relator, desembargador Caio Marcelo Mendes de Oliveira.

Conforme o magistrado, embora a empresa não esteja obrigada a manter o vínculo com o autor, teria que ter dado outro contorno ao descredenciamento, fazendo-o com justificativa válida: "Durante todo o processo, não se ficou sabendo quais seriam as razões daquelas imputações superficiais (do comunicado de desligamento)."

Assim, por unanimidade, o TJ-SP acolheu em parte o recurso do motorista e reformou a sentença de primeira instância, que havia julgado o pedido improcedente. O juízo de origem se baseou na possibilidade unilateral de rescisão desse tipo de contratação e disse que a Uber não estaria obrigada a manter o vínculo em questão.

Clique aqui para ler o acórdão
Processo 1072953-07.2021.8.26.0002

Tags:

Encontrou um erro? Avise nossa equipe!