facebook-pixel
Consultor Jurídico

Credores aprovam pedido de recuperação judicial da Talismã Sementes

26 de março de 2022, 12h15

Por Redação ConJur

imprimir

A assembleia de credores aprovou, nesta sexta-feira (25/3), o plano de recuperação judicial da Talismã Sementes, fornecedora de sementes de soja. A proposta deve ser encaminhada à 12ª Vara Cível de Goiânia para homologação.

Reprodução
Credores aprovam pedido de recuperação judicial da Talismã SementesReprodução

O grupo econômico é composto por três empresas e quatro produtores rurais, que atuam há 28 anos na região da fronteira agrícola do Matopiba (que abrange territórios dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).

O pedido de recuperação judicial do grupo foi feito em janeiro de 2018, devido a um endividamento de aproximadamente R$ 250 milhões. Desde então, os recuperandos vinham negociando com os credores a melhor forma de pagamento, na tentativa de preservar a fonte produtora e os empregos.

O advogado Carlos Deneszczuk, sócio proprietário do escritório Dasa Advogados, que atua no processo, diz ter total confiança na reestruturação do grupo empresarial.

"A aprovação do plano de recuperação judicial do grupo Talismã reforça a possibilidade e necessidade de que os produtores rurais podem se beneficiar do instituto da recuperação judicial, a fim de superarem a crise econômico-financeira vivenciada. Com certeza é uma grande vitória ao agronegócio".

Processo 5018556-53.2018.8.09.0051