Consultor Jurídico

Pico da loucura

Juíza proíbe coach de realizar atividades em montanha sem autorização

Por 

A segurança é valor fundamental, tanto quanto a liberdade, de maneira que elas devem ser equiponderadas. Esse foi um dos argumentos utilizados pela juíza Rafaela D'Assumpção Cardoso Glioche, da Vara de Piquete (SP), que proibiu o coach Pablo Marçal de realizar qualquer atividade em montanhas, rios, picos, lagos e mares sem prévia e expressa autorização das autoridades.

Após resgate, Pablo Marçal disse que 'só
os irresponsáveis chegam no topo'
Reprodução

A decisão foi tomada no bojo do inquérito policial que apura se o coach pode ser enquadrado no crime de tentativa de homicídio. No último dia 5, o profissional liderou uma expedição ao Pico dos Marins, em Piquete, que quase terminou em tragédia.

A atividade de Marçal mobilizou o Corpo de Bombeiros da cidade para resgatar 32 pessoas em condições meteorológicas adversas. Elas adquiriram um curso vendido pelo coach que prometia aos compradores o "pior ano da sua vida".

O Ministério Público endossou a representação policial e apontou que se não fosse a intervenção do Corpo de Bombeiros, era perfeitamente possível que integrantes do grupo liderado pelo coach morressem, seja por hipotermia ou por algum outro problema provocado pelas condições meteorológicas.

Ao analisar o caso, a magistrada registrou que pelos fatos apontados é possível afirmar que eventos como o que motivou a instauração do inquérito podem se repetir, colocando a integridade física e mental das pessoas em perigo.

A julgadora lembrou também que o investigado afirmou em tom jocoso em suas redes sociais que "só os irresponsáveis chegam no topo" e que se "você não quer correr risco fica na sua casa assistindo stories". Diante disso, ela acolheu os pedidos da polícia e do MP.

Clique aqui para ler a decisão
1500007-60.2022.8.26.0449




Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 17 de janeiro de 2022, 21h19

Comentários de leitores

1 comentário

O cerimonial da morte

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

"O coach" pretendia levar todos os presentes para a morte.
Boa sorte aos participantes!

Comentários encerrados em 25/01/2022.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.