Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

STF fazendo escola

rcanella (Funcionário público)

O maior pecado que o ser humano pode cometer é se crer mais inteligente que Deus. Entretanto, nossos “dotôres” do Judiciário devem pensar que bancar o Todo Poderoso é muito pouco pra eles, pois só uma mente insana justificaria uma decisão como essa. Eles soltam bandidos de altíssima periculosidade, se envolvem nas piores falcatruas do mundo, gastam enormes fortunas, cercados por séquitos de serviçais pagos a peso de ouro, encastelados em seus suntuosos palácios Brasil afora.
Não dependem do crivo eleitoral e por isso não estão nem aí para o espoliado pagador de impostos. Uns alcançam seus altos postos por indicação de políticos, que depois eles mesmos põem em liberdade quando esses são pegos pela polícia; outros via alguns poucos e questionáveis concursos públicos, dado seu alto grau de subjetividade na avaliação de etapas cruciais de seus resultados finais.
Nossos “nobres” constituintes na CF 88 estenderam um tapete vermelho para a corrupção em todos os Três Poderes, mas no Judiciário eles “capricharam”. Ex.: Juiz pego no crime = aposentadoria milionária.

Estelionato Sentimental ???

Boris Antonio Baitala (Advogado Autônomo - Civil)

Mais uma intervenção de mão única, que somente tem efeito quando a mulher se diz vítima. Uma boa parcela dos dos homens também presenteiam suas namoradas, fazem viagens ao exterior em sua companhia, alguns presenteiam até com automóveis. Mais tarde, depois de se beneficiarem do sentimento do namorado, perdem o interesse pelo mesmo, dão-lhe um pontapé no traseiro e ficam com os presentes e os benefícios advindos do dispêndio que o mesmo fez quando estava sentimentalmente envolvido. Será que o judiciário reconhecerá estelionato sentimental quando a vítima for o homem? Ou tratará dessas questões com pesos e medidas diferentes ???

Essa não mais essa agora .

ielrednav (Outros)

Não deu para entender direito ! Fazer determinados pedidos a uma ex ou namorada a luz do meu pensamento é normal , e , a pessoa dá se quiser Essa conversa que deu levada por emoçóes não cola ela é maior e dona dos seus atos agora se vingar do outro querendo ser indenizada por atos consentido isso sim é um estelionado a vingança tambem é considerado crime emocional a pessoa pede o outro da se quiser situação esdruxula faltando mais efeitos cognitivos ambos erraram isso deve ser levado na questão pelo juiz que deveria ser imparcial ao meu pensamento existe a suspeição de parcialidade do juiz não observando as causas principais .Ou então a defesa do advogado dele não soube se expressar fico indignado ao deparar com determinadas situações entulhando os foros com processos inuteis .E a ninguem pode se dar o direito ser desconhecedor da lei .Se pedir à ela se jogar em um poço sera que ela ia por "emoções" tambem .

Até onde irá a ingerência?

Dácio Peres (Investigador)

Ao "andar da carruagem", um presente ofertado ou recebido será provisório. Caso o recebedor não se satisfaça com as atitudes do parceiro(a), retomará o "mimo", com o aval do judiciário. Não deveria o judiciário se ater a temas que realmente exigem sua intervenção? Ações relevantes prescreverão em razão do acúmulo de ações que visam dirimir conflitos de cunho estritamente pessoal? Estamos chegando às vias do ridículo.

Comentar

Comentários encerrados em 19/01/2022.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.