Consultor Jurídico

continue andando

Cachaça João Andante deve indenizar Johnnie Walker por infração de marca

Retornar ao texto

Comentários de leitores

2 comentários

Imperceptível aos da língua portuguesa pátria!

Skeptical Eyes (Engenheiro)

Os apreciadores de Whisky ou whiskey sabem muito bem o que querem e pagam caro para tanto.
É uma pena não termos os autos do processo anexados ao texto para podermos apreciar esta proeza.
Em primeiro lugar o texto em língua diferente da língua pátria nem sequer deveria ,a meu ver, ser traduzido pois o registro é como ele é ou seja se em língua estrangeira vale o grafismo mas não o significado afinal estamos em solo brasileiro.
E se agora lançarem uma bebida " João andarilho" com roupa toda esfarrapada quem é que vai associar à marca do whisky que tem um burguesinho de cartola? A meu ver a repercussão dos resultados do processo que se inexistente não divulgaria o produto debatido é muito mais prejudicial à marca do whisky do que o fato alegado. Péssimo para o marketing da marca o sucesso no processo só mostra o medo que marcas tradicionais têm de ver o crescimento do comércio de boas bebidas com preços muito mais módicos. Como apreciador eventual de um bom whisky que ganho de presente já vou me manisfestando aos que me presenteiam a minha antipatia pela marca em questão . Chivas é muito melhor!
Enfim direito é coisa convencional e se as autoridades assim o decidem tem que ser cumprido mas do ponto de vista mercadológico foi um tremendo bola fora.
A alegação de eventual paródia trás em si , a meu ver, o preconceito contra milhares de andarilhos pelas estradas brasileiras, pessoas pobres e humildes que além de não terem sucesso financeiro ainda têm via processo eternizada sua condição de serem vistos como uma sub raça espezinhada pela prepotência do maior poder econômico.
É de dar nojo !

Responder

O produto era bom mesmo !

Skeptical Eyes (Engenheiro)

Como diz o ditado americano "nobody kicks a dead dog" que, literalmente, "ninguém chuta cachorro morto". Ditado antigo, legislação velha pois fazê-lo hoje em cachorro vivo pode ou deveria ser crime de maus tratos.....
Meu presenteador me lembrou há pouco que anos atrás ele me deu uma garrafa de "João Andante" que consumi ao longo dos meses para não acabar.... gostei muito.
Os endinheirados que abram os olhos pois a concorrência está assim: Chivas hoje custa R$ 119,00 no magazine Luiza e a R$ 150,00 em outros.... enquanto a marca processante está custando R$ 1.199,00 no Marché. Para valer tanto tinha que dar um barato e tanto a mais.....mas barato é que não é. No Mercado Livre existe também a cachaça "Maria Andante" por R$78,00 a R$99,00 entre outras .....vão processar também? Sabemos que nome de pessoas não são registráveis como marca....ao menos para nós mortais nascidos na terra brasilis e sem pedigree, já que falamos de cachorros.
Mas como se dizia antigamente o buraco é mais embaixo e os concorrentes escoceses darão conta do recado.

Comentar

É necessário se identificar fazendo login no site para poder comentar.
Não tem conta na ConJur? Clique aqui e cadastre-se!