Consultor Jurídico

Mais 90 dias

Alexandre prorroga inquérito sobre interferência de Bolsonaro na PF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, decidiu prorrogar por mais 90 dias o inquérito que apura declarações do ex-ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) sobre suposta tentativa de interferência política do presidente da República, Jair Bolsonaro, na Polícia Federal. 

Inquérito investiga suposta interferência de Bolsonaro no trabalho da Polícia Federal
Marcelo Camargo/Agência Brasil

"Considerando a necessidade de prosseguimento das investigações e a existência de diligências em andamento, nos termos previstos no artigo 10 do Código de Processo Penal, prorrogo por mais 90 dias, a partir do encerramento do prazo final anterior, o presente inquérito", escreveu o ministro em despacho. 

No último dia 7 de outubro, Alexandre determinou que a Polícia Federal colha depoimento do  presidente Jair Bolsonaro no prazo de até 30. A investigação trata suposta interferência do presidente na Polícia Federal, denunciada pelo ex-ministro Moro.

Em setembro do ano passado, o então decano do STF, ministro Celso de Mello, então relator do inquérito, decidiu que Bolsonaro deveria depor presencialmente, negando ao mandatário a prerrogativa processual de depor por escrito.

No último dia 6, a Advocacia-Geral da União informou que Bolsonaro agora manifestou seu interesse em prestar depoimento sobre os fatos mediante depoimento pessoal. O presidente só pediu que lhe fosse facultado o direito de marcar o local e data da presença dele na Polícia Federal.

Clique aqui para ler o despacho
Inquérito 4.831




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 11 de outubro de 2021, 20h38

Comentários de leitores

1 comentário

Prorrogação

Sidnei Fernando da Silva (Contabilista)

Se não tem o que processar prorroga para desgastar o governo.

Comentários encerrados em 19/10/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.