Consultor Jurídico

defeito no equipamento

Havan deve indenizar cliente por queda em escada rolante

Por constatar falha no serviço, a 3ª Vara Cível de Bauru (SP) condenou a varejista Havan a indenizar em R$ 4 mil uma mulher que caiu da escada rolante de uma das lojas.

Pixabay

Segundo a autora — representada pelo advogado Luís Eduardo Borges da Silva —, a escada parou bruscamente e a queda causou ferimentos na sua perna esquerda. Alegou que não havia aviso sobre mau funcionamento do equipamento e que a empresa não prestou os devidos socorros.

O juiz Marcelo Andrade Moreira apontou a responsabilidade civil da ré, independentemente de prova de culpa: "Bastaria demonstração de relação de causalidade entre a queda da autora no interior do estabelecimento da ré e os danos para surgir o dever de indenizar".

O magistrado considerou que a empresa não comprovou que a queda teria ocorrido por culpa exclusiva da cliente. "Certamente as dores da lesão física sofrida pela autora, ainda que sem gravidade, e o trauma do evento súbito e inesperado da queda, causaram danos morais", indicou.

Clique aqui para ler a decisão
1018859-33.2020.8.26.0071




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 29 de março de 2021, 17h30

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 06/04/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.