Consultor Jurídico

Caças Suecos

MPF escondeu cargo de embaixadora para não perder foro contra Lula

Procuradores do Ministério Público Federal queriam usar o depoimento de uma embaixadora sueca para enquadrar Lula no crime de tráfico internacional de influência. Como pessoas que atuam em cargo diplomático têm prerrogativa de foro, o grupo de Curitiba tentou "minimizar" o posto ocupado pela testemunha. A informação integra novo laudo enviado pela defesa do ex-presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal. 

Procuradores queriam usar embaixadora sueca para acusar Lula de tráfico de influência
José Cruz / Agência Brasil

De acordo com as conversas, os procuradores queriam denunciar Lula por tráfico de influência e corrupção no caso da compra de nove caças suecos. Para isso, precisavam achar algum servidor público que teria sido "corrompido" pelo petista. 

O caso era considerado fraco pelos procuradores, mas eles encontraram uma embaixadora sueca para ser arrolada como testemunha. Por causa do foro, Athayde Ribeiro Costa disse em 10 de agosto de 2016 que que dava para "alterar [o cargo]" da embaixadora. 

Jerusa, provavelmente a procuradora Jerusa Burmann Viecelli, concorda e ajuda com a empreitada. "Tirei a foto da embaixadora e a referência ao cargo no texto. Paulo [Galvão], dá uma olhada?"

O tráfico de influência pune, com pena de dois a cinco anos e multa, a corrupção de funcionários estrangeiros por brasileiros. 

Defendem o ex-presidente Lula os advogados Cristiano Zanin, Valeska Martins, Eliakin Tatsuo e Maria de Lourdes Lopes

Caso fraco
O caso dos caças sempre foi considerado fraco pelos integrantes do MPF de Curitiba. Como eles queriam pegar Lula mesmo assim, resolveram ouvir até Antonio Palocci, mesmo depois das oitivas de todas as testemunhas de acusação e defesa. 

O processo dos caças começou no Paraná. Como se tornou "difícil" — nas palavras do procurador Paulo Galvão — fixar a competência da 13ª Vara Federal de Curitiba, o caso foi para Brasília. 

Curitiba sugeriu aos colegas do Distrito Federal que Palocci, delator de plantão do MPF, fosse ouvido de forma extemporânea, já que a oitiva das demais testemunhas já havia ocorrido. 

Conforme mostrou a ConJur em 1º de março deste ano, o MPF não via "nada de anormal" na compra dos caças suecos. O ex-presidente acabou virando réu mesmo assim. 

Dois meses antes da apresentação da denúncia formal pelo MPF do Distrito Federal, o assunto foi abordado pelo procurador identificado como "Orlando SP", provavelmente Orlando Martello, que atuava no Paraná. 

Orlando comenta que as investigações apontaram não haver "nada de anormal" na opção pelos caças suecos, mostrando que "a questão foi vista mais como uma opção política justificável".

21 Sep 16
• "12:56:41 Orlando SP Sobre os caças. Nada de anormal na escolha. Tinha escolha normal, mas dentro da aeronáutica a questão foi vista mais como uma opção política, justificável em razão de transferência de tecnologia. Não correu boato sobre a escolha. Houve um upgrade no equipamento, depois de fechado o contrato, no valor aproximado de 1 bi. O detalhe é que uma empresa brasileira do RS foi constratada para auxiliar na implementação dos programas, transferência de tecnologia etc., mas o boato aí é que tinha favorecimento para filho de brigadeiro. A questão, entretanto, foi investigada pelo MP(F) e arquivaram a questão".

Rcl 43.007




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de março de 2021, 13h56

Comentários de leitores

8 comentários

que coisa, não é

Ondasmares (Prestador de Serviço)

ao longo da história - daqui e de outros países - há muitos casos como o de Lula, líder popular que avançou em campos que não interessam às burguesias, acho que a maioria nem mora aqui, mas tem negócios aqui e quer esfolar tudo que puder, tirando direito dos trabalhadores, tudo. Querem o Estado para ela, querem seus benefícios fiscais, querem continuar sendo as grandes sonegadoras que são. Não gostaram de dividir migalhas com os mais pobres. Lula fez um governo em que de esquerda, se é que se pode dizer isso, só teve a distribuição de renda, o aumento do salário mínimo acima da inflação, mais oportunidades de estudo e políticas para pequenos agricultores, que são quem coloca a comida na nossa mesa. Governos petistas não deixariam sucatear a Petrobras e que esta perdesse o seu sistema integrado, importante para a soberania, e a primeira coisa que Jose Serra fez, dias após a deposição da Dilma, foi alterar o sistema de partilha da Petrobras no congresso. Não é fácil, não. Não sei o que farão agora, o que irão inventar contra Luís Inácio Lula da Silva.

Hein?

Afonso de Souza (Outros)

Você acha que esse papo de "líder popular contra a burguesia" ainda cola, rapaz?? No governo desse 'líder popular" houve o maior assalto aos cofres públicos da história!

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Ou seja, a julgar pela matéria deste site, teria havido apenas uma investigação para se saber se teria havido tráfico de influência, considerando que a corrupção era sistêmica e institucionalizada naquele governo. E como não havia consistência no caso, os procuradores o abandonaram. Cumpriram o dever deles.

Perseguição insana e covarde

Artur lei é p todos (Advogado Autônomo - Administrativa)

Ao ler mais uma das inúmeras imoralidades da Lava Jato, não têm como não ficar indignado com todo esse "lawfare" contra o ex presidente Lula. A operação LJ não buscava um crime, mas sim a perseguição pura e odiosa à um líder mundialmente reconhecido, por suas ações em prol da diminuição da desigualdade social brasileira e de outros países do 3o mundo.
É incrível que seja constatado, que servidores públicos fizeram papel de torturadores. Conseguiram assassinar Dona Marisa Letícia. Essa mancha da tchurma da LJ é indelével.
E tem mais. Chama a atenção a ausência de qq irregularidade na vida de Lula ou de seus filhos.
Ele mora no mesmo local, um apto classe média, há mais de 30 anos, foi investigado furiosamente durante mais de 5 anos, por PF, MPF, Receita Federal, COAF. Foram quebrados sigilo fiscal, telefônico e financeiro dele e de sua família, mas nada de ilícito ou irregular encontraram.
A República de Curitiba deu 2 saltos triplos mortal carpados para condena-lo.
Um triplex simples, numa praia decadente, que pertencia à OAS e estava em garantia à CEF, ou seja, pra ter direito à "propina" tinha que pagar a dívida. Só acredita nisso quem é muito ignorante.
Quanto ao sítio, já foi até vendido pelo real proprietário, com autorização, pasme-se, da própria juiza que condenou a vítima dos algozes de Curitiba.
Se alguém quiser tentar entender todas essas absurdas condenações, indico o livro "O Processo", de Franz Kafka.

Hein?

Afonso de Souza (Outros)

"Chama a atenção a ausência de qq irregularidade na vida de Lula ou de seus filhos."

Essa piada é reveladora...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 30/03/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.