Consultor Jurídico

Leão adestrado

Diálogos revelam ação de braço lavajatista na Receita Federal

Por 

Procuradores da 'lava jato' exaltam "RF engajada" em diálogo enviado ao STF

Procuradores lavajatistas admitiram em caráter sui generis os métodos da operação deles e revelaram o engajamento de um servidor da Receita Federal dentro do consórcio criado a partir da 13ª Vara Federal de Curitiba.

As revelações constam em relatório enviado pela defesa do ex-presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal nesta segunda-feira (15/3). Em conversa do dia 7 de novembro de 2015, procuradores fizeram referência à "rússia" para se referir ao então juiz Sergio Moro ou a vara sob o comando dele, na capital do Paraná (russo ou rússia).

Leia o trecho abaixo:

12:03:16 Diogo — se declinarmos atribuição vai acabar em
12:03:20 Roberson MPF —  Concordo!
12:03:40 Diogo — nao adianta sermos utópicos em achar que o raio vai cair de novo no mesmo lugar
12:04:04 Diogo — nao haverá outro moro, nao haverá outra ft, outra PF e outra RF engajada em lugar nenhum do país
12:04:36 Roberson MPF —  Concordo! O único problema é que a Rússia ta ficando cansada... Rsrs
12:04:52 Diogo
 file:///H:/CRIME/Deltan/FT-Lava Jato/_PROC/DIOGOORLANDO/JOÃO AUGUSTO HENRIQUES/informações fiscais.pdf • 12:06:00 Diogo 112541.pdf
12:06:20 Diogo — sim
12:06:28 Diogo — acho que poderia conversar com ele • 12:06:48 Diogo deixá-lo respirar um pouco

No relatório enviado ao Supremo, os advogados de Lula apontam o indício da colaboração clandestina entre procuradores e servidores da Receita para obter ilegalmente dados protegidos por sigilo constitucional.

A parceria entre membros do consórcio foi objeto de reportagem da ConJur publicada no último dia 8 de fevereiro deste ano, baseada nos diálogos obtidos pelo hacker Walter Delgatti Neto. Antes da defesa do ex-presidente ter acesso às informações por decisão do ministro Ricardo Lewandowski, parte do material fora publicado pelo site The Intercept Brasil e um consórcio de veículos parceiros na série que ficou conhecida como "vaza jato".

O uso do esquema era tratado com naturalidade, segundo mostram novos diálogos entregues ao STF. Segundo o documento, a Receita funcionava como um braço lavajatista.

Os acertos ilegais eram feitos com Roberto Leonel de Oliveira Lima, chefe do Escritório de Pesquisa e Investigação na 9ª Região Fiscal. Pela cooperação, o servidor foi premiado quando Sergio Moro tornou-se ministro da Justiça, com o comando do Coaf (Controle de Atividades Financeiras. Clique aqui para ver palestra de Deltan Dallagnol e Roberto Leonel.

Em julho de 2015, por exemplo, os procuradores discutiam uma anotação encontrada com Flávio Lúcio Magalhães, apontado como operador de propina da Andrade Gutierrez. A lista citava diversas pessoas, entre elas ministros do STJ.

"A RF [Receita Federal] pode, com base na lista, fazer uma análise patrimonial [dos ministros], que tal?", diz Dallagnol. Em seguida o procurador informa: "Combinamos com a Receita".




Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 15 de março de 2021, 16h43

Comentários de leitores

15 comentários

Os "crimes" da Lava Jato

Afonso de Souza (Outros)

Do período em que atuou, mais de R$ 4,3 bilhões foram devolvidos aos cofres públicos por meio de 209 acordos de colaboração e 17 acordos de leniência, nos quais se ajustou a devolução de quase R$ 15 bilhões.

As provas obtidas e compartilhadas com outros órgãos, como TCU, AGU, Receita, entre outros, possibilitaram o desenvolvimento de trabalhos em diversas outras frentes, contribuindo para a descoberta de outros crimes ou ações ilícitas.

Foram colhidos materiais e provas que embasaram 130 denúncias contra 533 acusados, gerando 278 condenações, entre as quais a do corrupto que vem sendo defendido descaradamente aqui neste site.

Monologia da mocinha colonizadora da TV

MACACO & PAPAGAIO (Outros)

A idiotização não tem limites, para mosqueteiros partidaristas, juristas de latrina e colonizadores infantis, telespectadores de seriados de pulga, que não sabem analisar, a não ser se portar como cretinos.
Se um babaca tiver condições de ler e entender, deixa de ser um aborto como o aposto de sua testa de ferro.
A perícia foi feita, mas negar a realidade não o torna convincente, ainda mais se se transcreve um artigo de opinião e, logicamente, parcial, sem base qualquer no empirismo.

https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2021/02/operacao-spoofing-prova-ilicita-e-imprestavel.shtml/>Poucos acreditam nesses espasmos que quiseram posar de arautos da Justiça, para, de uma forma ou de outra, "lucrar", com as vestes inversas dos que hoje, ou outrora chamam de bandidos, enquanto atuaram fora da lei.
Não se defendem corruptos, nem mocinhos, capangas da democracia, pois são ambos da mesma laia inescrupulosa e perversa desse chiqueiro que vcs terminaram de plantar juntos.
Não se tem culpa quando se eh um bastardo de nascença e se tem desvio de personalidade e complexo de inferioridade. Basta ver sua posição, sempre de quatro, sem visão de 360 graus do problema.
Breve , vc recebe seu bate-volta...e a sua caverna o espera, sem empatia nenhuma.
E não vai chorar para a mamãe, porque a frouxidão eh do genes.

Ao macaco & papagaio (outros)

Afonso de Souza (Outros)

Macaco, ou Papagaio, tanto faz.

A perícia não foi feita nem poderia ser. De novo:

https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2021/02/operacao-spoofing-prova-ilicita-e-imprestavel.shtml
/>Não dou a mínima para o que você acredita ou finge acreditar.

Minha "monologia" é bem melhor, bem mais limpa que a sua, e é muito fácil que seja assim, você sabe.

Você, que posa aqui de garantista, não engana ninguém.

Aqui não é jardim de infância!

Artur lei é p todos (Advogado Autônomo - Administrativa)

Certos comentários mostram q tem gente fazendo confusão. Aqui é um site jurídico, não playground de jardim de infância.

Observação

Afonso de Souza (Outros)

Este site já não é mais (só) jurídico há tempos...

Afonsinha de Souza adora parquinhos ...

MACACO & PAPAGAIO (Outros)

Semelhantes aos suspeito de corrupção, esses abelhudos e malfeitores da República ja estão sendo investigados, serão presos, terão os bens confiscados, perderão seus cargos e se suspenderão seus direitos políticos, MAS tudo na forma da LEI, a não ser que eles queiram que se lhes apliquem o pacote das 10 medidas contra a corrupção moral e funcional que os hackers escancaram, sem direito de deefsa ou HC.
Cadeia para todas essas pestes da mesma raça que turbou a Constituição e as leis da nação.

Ao MACACO & PAPAGAIO (Outros)

Afonso de Souza (Outros)

Macaco, ou Papagaio, tanto faz.

Esse seu comentário é revelador e diz muito sobre você (e nada sobre mim).

Os "malfeitores da República" são os que você vem aqui defender sistematicamente, ao passo que os "abelhudos" são os policiais e procuradores que deslindaram o maior esquema de corrupção da nossa história e que você (mas não só) vem aqui atacar sistematicamente.

Seu parquinho é outro, rapaz.

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

"O uso do esquema era tratado com naturalidade, segundo mostram novos diálogos entregues ao STF."

E deveria ser natural mesmo. O próprio Moro, quando ministro, tinha a intenção de integrar a Receita numa estrutura institucional que facilitasse o combate à corrupção e lavagem de dinheiro.

Corruptos morais e colonizadores

MACACO & PAPAGAIO (Outros)

Para quê Judiciário, se já estava tudo combinado entre os mocinhos?
A perícia já fez o confronto dos dados e verificou a autenticidade das mensagens, inclusive de voz, dos principais envolvidos e interlocutores.
Se não deu tempo delas serem apagadas pelos enganadores da República e o russo justiceiro, aí azar o deles...e sorte da nação que passou a saber que podíamos ter bandidos sendo investigados por bandidos.
Só um apedeuta, proselitista, ideólogo, solipsista, um mau caráter e quejandas não reconheceria que o problema é que, se os “mocinhos” não respeitaram as leis desse país, não passam de bandidos também. E que as decisões constritivas e/ou condenatórias não podem vir já prontas e combinadas apenas com o órgão acusador, ainda que sob pretexto de combate à corrupção.
Para QUALQUER um, em um Estado de Direito, asseguram-se as garantias de defesa real, de um julgador isento e as de que: “ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente”; “ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal; e, “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória” (art. 5, LIII, LIV; E LVII, CF/88);
O divisor de águas está na civilização, e não em tentar punir “criminosos” praticando outros crimes.
Se a Constituição e os Códigos dessa nação não valem para um “mocinho”, sua moral é igual à dos “bandidos”.
Pedir empatia, inteligência, seriedade, coerência e profundidade é mito para quem não tem valores, nem princípios... os bandidos comuns e os mocinhos bandidos se confundem! São espécimes de diferentes palácios e cavernas.
Que tal agora eliminar o HC e o direito de defesa do sistema jurídico?
Difícil entender, quem não tem autonomia intelectual, nem moral para responder.

Ao MACACO & PAPAGAIO (Outros)

Afonso de Souza (Outros)

Não falo sua língua, mas o seguinte trecho não a recomenda muito: "para quê Judiciário, se já estava tudo combinado entre os mocinhos?"

Não, a perícia não foi nem poderia ter sido feita.

https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2021/02/operacao-spoofing-prova-ilicita-e-imprestavel.shtml
r/>Você só está aqui para defender os corruptos, não os mocinhos.

Corruptos morais e colonizadores

MACACO & PAPAGAIO (Outros)

Para quê Judiciário, se já estava tudo combinado entre os mocinhos?
A perícia já fez o confronto dos dados e verificou a autenticidade das mensagens, inclusive de voz, dos principais envolvidos e interlocutores.
Se não deu tempo delas serem apagadas pelos enganadores da República e o russo justiceiro, aí azar o deles...e sorte da nação que passou a saber que podíamos ter bandidos sendo investigados por bandidos.
Só um apedeuta, proselitista, ideólogo, solipsista, um mau caráter e quejandas não reconheceria que o problema é que, se os “mocinhos” não respeitaram as leis desse país, não passam de bandidos também. E que as decisões constritivas e/ou condenatórias não podem vir já prontas e combinadas apenas com o órgão acusador, ainda que sob pretexto de combate à corrupção.
Para QUALQUER um, em um Estado de Direito, asseguram-se as garantias de defesa real, de um julgador isento e as de que: “ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente”; “ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal; e, “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória” (art. 5, LIII, LIV; E LVII, CF/88);
O divisor de águas está na civilização, e não em tentar punir “criminosos” praticando outros crimes.
Se a Constituição e os Códigos dessa nação não valem para um “mocinho”, sua moral é igual à dos “bandidos”.
Pedir empatia, inteligência, seriedade, coerência e profundidade é mito para quem não tem valores, nem princípios... os bandidos comuns e os mocinhos bandidos se confundem! São espécimes de diferentes palácios e cavernas.
Que tal agora eliminar o HC e o direito de defesa do sistema jurídico?
Difícil entender, quem não tem autonomia intelectual, nem moral para responder.

Ao MACACO & PAPAGAIO (Outros)

Afonso de Souza (Outros)

Macaco, ou Papagaio, ou Robô, repetir-se não o tornará mais crível.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 23/03/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.