Consultor Jurídico

Mercado Jurídico

Por Sérgio Rodas

Diversidade e inclusão

Banca Gondim Albuquerque Negreiros Advogados reserva 20% das vagas para negros

O escritório Gondim Albuquerque Negreiros Advogados cotas para negros. Com isso, 20% das vagas para novos sócios, estagiários e funcionários administrativos serão para pessoas autodeclaradas pretas ou pardas, que contarão com programa específico de treinamento, capacitação e mentoria. 

"Enfrentar o futuro também passa por corrigir os erros do passado em ações concretas que contribuam para a formação de uma comunidade mais plural em oportunidades. Ouvimos nosso time e decidimos agir. Sempre fomos muito plurais mas precisávamos fazer mais e melhor", ressalta Gustavo Albuquerque, sócio do escritório.

A banca mobilizou o comitê de diversidade (criado em 2017) e uma consultoria especializada em inclusão. Após diversos encontros, o escritório criou a nova política de talentos e treinamento de novos advogados e demais profissionais em novembro de 2020.

Desde então foram contratados mais 74 profissionais. Deles, 30 se autodeclaram negros (sendo 21 advogados, dois assistentes de comunicação, um assistente jurídico, cinco estagiários e um office boy), todos fazendo parte do programa de diversidade e inclusão, que engloba ações de desenvolvimento profissional, com mentoria e programa de formação e capacitação (custeio de cursos de aperfeiçoamento, técnico, graduação, especialização, entre outras medidas).

Veja alguns aspectos importantes da política de diversidade e inclusão:

1. Mentoria
Os profissionais que desejarem serão acompanhados por um sócio de capital ou um sócio de resultado para tratar de carreira e desenvolvimento profissional. Todos os
que desejarem ser mentores receberão treinamento para tal.

2. Formação e capacitação
Auxílio-educação disponível para o profissional inserido no programa de diversidade e inclusão. Dessa forma, todos que desejarem contarão com suporte financeiro para realizar cursos para desenvolvimento profissional, de acordo com a política do programa de formação e capacitação.

3. Avaliação de performance
A avaliação de performance de profissionais do Gondim incluídos no programa de diversidade e inclusão será feita trimestralmente pelo setor de recursos humanos, pela liderança da área ou pelo
Conselho Executivo. O objetivo é promover um acompanhamento próximo, permitindo o crescimento e desenvolvimento na banca.

4. Formas de cumprimento
Para o cumprimento desta política, a avaliação de performance das lideranças do Gondim e seu consequente reconhecimento estarão diretamente relacionados não somente às entregas em si, mas ao nível de engajamento com as políticas de diversidade, bem como engajamento do time em questão.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 23 de junho de 2021, 9h53

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 01/07/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.