Consultor Jurídico

Os infiltrados

Enquanto PF investigar caso, servidor não pode acessar TCU, determina Ana Arraes

A presidente do Tribunal de Contas da União, ministra Ana Arraes, decidiu nesta quarta-feira (9/6) afastar o auditor Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques por 60 dias. Também mandou instaurar processo administrativo disciplinar contra o servidor e informou que pedirá à Polícia Federal que abra inquérito para apurar a conduta dele.

A presidente do TCU, ministra Ana Arraes
Divulgação

A decisão da presidente do TCU atende a um pedido do ministro-corregedor da corte, Bruno Dantas, que solicitou o afastamento preventivo para que o auditor não atrapalhe a investigação.

Com a decisão, o servidor ficará impedido de entrar no prédio do Tribunal e de ter acesso aos sistemas internos de processos da corte.

Silva Marques é suspeito de envolvimento na elaboração de um documento, inserido no sistema do órgão no último domingo (6/6), que distorcia os dados do número de mortos pela Covid-19 no Brasil. O material vazado em seguida foi citado pelo presidente Jair Bolsonaro na segunda-feira (7/6).

Alexandre já tinha sido afastado do cargo de supervisor de um grupo de auditores responsável por ações de fiscalização e combate à corrupção em ações de combate à Covid-19.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 9 de junho de 2021, 14h57

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 17/06/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.