Consultor Jurídico

M* no ventilador

TCU informa ser grave divulgação de documento distorcido sobre a Covid-19

O ministro-corregedor do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas, disse nesta terça-feira (8/6) que as informações já levantadas sobre o caso do documento usado pelo presidente Jair Bolsonaro para distorcer os números da Covid-19 no país são "graves".

O presidente da República, Jair Bolsonaro
Divulgação

A expectativa é a de que ele proponha a abertura de processo disciplinar que poderá afastar o servidor que inseriu documento com informações distorcidas dentro do sistema do órgão.

O auditor Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques incluiu no sistema, no último domingo (6/8), documento não oficial com os dados distorcidos, conforme divulgou a revista Crusoé.

"Os fatos até aqui apurados pela corregedoria são graves e será necessário aprofundamento para avaliar a sua real dimensão. Ainda é cedo para extrair conclusões, mas se ficar comprovado que o auditor utilizou o cargo para induzir uma linha de fiscalização orientada por convicções políticas, isso será punido exemplarmente", disse Dantas.

O TCU desmentiu nesta segunda-feira (7/6) a declaração de Bolsonaro de que o tribunal produziu relatório afirmando que "50% dos óbitos por Covid não foram por Covid". O órgão disse, em nota, que não elaborou o documento.

O tribunal informou que será instaurado "procedimento interno para apurar se houve alguma inadequação de conduta funcional no caso".

Segundo o TCU, o documento era uma análise pessoal de um servidor, que havia sido compartilhada para discussão e não integrava processos oficiais. "Ressalta-se, ainda, que as questões veiculadas no referido documento não encontram respaldo em nenhuma fiscalização do TCU", afirmou o órgão.

Após ser desmentido, Bolsonaro disse nesta terça-feira (8/6) que errou ao atribuir ao TCU o documento, mas insistiu que há indícios de supernotificação das mortes por coronavírus no país. Disse ter acionado a CGU (Controladoria-Geral da União) para investigar essas suspeitas.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 8 de junho de 2021, 21h09

Comentários de leitores

8 comentários

Fake news em cima de fake news

João B. (Advogado Autônomo)

O fato de serem contra ivermectina e afins é porque a ciência comprova que são inúteis. Ponto final.
E o governo incutir a crença de que EXISTE remédio acaba estimulando as pessoas a adotarem comportamento de risco (o governo inclusive desestimula o uso de máscara, o método protetivo por excelência). Simples assim.
Quanto a realizar autópsias em todos os mortos, beira à insanidade, é desconhecer os números. Não haveria geladeira para tanto corpo (meio milhão, quase), além de que o serviço de autópsia demanda servidores públicos. Enfim, non sense total.
Obviamente vai haver menos mortes por gripes comuns, afinal, bse a pessoa se contamina com COVID não é uma gripe normal que vai matá-la, mas o COVID. As pessoas que morreriam de gripe comum (e pneumonia, um efeito comum da gripe em idosos e pessoas debilitadas) contraíram COVID .
QUanto aos pouquíssimos casos de pessoas que morrem depois de vacinadas (a comentarista quer fazer parecer que são muitos, o que é falso), pode muito bem ser que não aplicaram de fato o imunizante (o qual foi desviado), mas um líquido qualquer, como várias denúncias amparadas em vídeos foram vistas.
Por fim, não é necessário muita inteligência para perceber que o melhor e mais eficaz método de contenção de um vírus transmissível pelo ar é evitar aglomerações, e, para tanto, o lockdown é a medida por excelência, pois as pessoas invariavelmente se aglutinam, fato verificável nas notícias dos últimos dias, quando o povo sai bem doido se aglomerando.

Deve ser verdade

Marivaldo Rodrigues da Silva (Policial Militar)

Deve ser verdade! Em um país que um compositor escreve "se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão" onde a maioria do povo tem consenso de que 'todo político rouba, deve ser muito difícil imaginar prefeitos e governadores, sabendo que não haverá autópsia nos cadáveres, super faturar o número de mortos apenas para receberem mais dinheiro federal! Realmente não podemos acreditar que eles sejam capazes!

Quem causa o ponto de partida?

Bacharel em Direito e pós graduado (Assessor Técnico)

Bíblia, Levítico 6.12,13, parafraseando, "a ardência do fogo tem que começar pelo altar", ou seja, os pais precisam serem exemplos da família; o professor, dos alunos; o mestre, dos serviçais; o maestro, dos músicos; o Papa e o padre, dos católicos; o Pastor, do rebanho etc., não sendo diferente com o Presidente que precisa deixar palanque, rivais, ideologias e ser o exemplo do País e espelho dos governados, ao invés do provocar aglomerações; incentivar o não uso de máscara, medicar (cloroquina) sem ser médico; não cumprir o prometido em campanha (acabar com mamatas, rejeitar o Centrão, reduzir a 15 o número de Ministérios etc.). A imprensa está no papel de anunciar. Não há diferença entre Rede Globo (que agora é contra ele) e a Record (Edir) e o SBT (Sílvio Santos) que o acobertam e o defendem), haja vista que o número de mortes por COVID deveria estar bem informadinho, caso houvesse um papel e desempenho nobre do Ministério da Saúde, articulado com os estados e municípios. Não venham dizer que o STF tirou poder do Presidente, tá? Constitucionalmente, a competência é concorrente. Enfim, se há culpa e desinformação, tais são por conta do próprio Jair Bolsonaro.
Graças e Paz com todos.

É muito grave mesmo

Rejane G. Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Todo o contexto da alegada pandemia da Covid-19 aponta para situações muito graves em vários setores dos órgãos públicos. Desde o início, quando a OMS declarou estado de pandemia, aqui no Brasil, foram rapidamente tomadas medidas que restringem de maneira absurda os direitos fundamentais dos cidadãos sem comprovação científica da necessidade e utilidade das medidas sanitárias. E mais, censura inadmissível aos questionamentos justos e técnicos de muitos cientistas brasileiros e de outros países, que passaram a sofrer campanhas difamatórias, principalmente da grande mídia, a qual, no entanto, trata com sensacionalismo e sem fundamentação científica sobre tudo o que diz respeito à Covid-19, especialmente o número de óbitos. Atendo-se apenas a esse aspecto da Covid-19, muito pode e deve ser questionado e divulgado, a saber : 1) os testes PCR não são apropriados para diagnóstico, apenas indicam restos de material genético presentes no corpo humano, o que não autoriza concluir que a pessoa está doente com Covid-19, conforme explicação do próprio criador desse teste; 2) não são feitas autópsias nas pessoas que supostamente faleceram em decorrência da Covid-19, o que desperta inúmeros questionamentos e suspeitas, sobretudo quando governadores estaduais baixam decretos ou as assembleias promulgam leis para "orientar" os agentes públicos relacionados ao setor de verificação de óbitos a registrar como "suspeita de Covid-19"; 3) é inconcebível que ainda não se tenha feito uma comparação oficial de órgãos como o IBGE e outros acerca dos óbitos ocorridos em anos anteriores por diversas causas e em 2020, o "ano da Covid-19", eis que vários cidadãos já fazem essa comparação e compartilham dados nas redes sociais. Idem, registro de efeitos adversos de vacinas.

Negacionismo

C.B.Morais (Advogado Autônomo)

Um dos mais famosos casos de negacionismo está relacionado a Galileu Galileu que defendia o heliocentrismo e foi condenado pela Inquisição. Houve também o caso de Giordano Bruno. Nos últimos anos, o negacionismo - negar a ciência, veio com tudo: a terra não é redonda, não há mortes por Covid19, remédios que curam a doença, e outros, inclusive ser contra a vacina. Mas essa das mortes é terrível, pois é uma realidade que milhares de famílias enfrentam a cada dia. O que é um desafio é saber qual a verdadeira razão de tudo isso. Qual a utilidade para cada um que defende essas teorias? Por que razão insistem nisso? Por que uma onda de ignorância surgiu tão forte e passa por todas as camadas da sociedade? onde erramos?

O erro é se negar a questionar, Dr. Morais

Rejane G. Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Um cálculo simples : verificar, em estatísticas oficiais, o número de óbitos a cada ano e as causas. Comparar a taxa de crescimento a cada ano por causa. Comparar com o ano de 2020. Houve redução acentuada no número de óbitos por causa e um elevado número de óbitos por uma nova causa - Covid. Sem autópsias, não se pode afirmar a causa do óbito. Com relação a tratamentos, quem considera o tratamento precoce ( como eu) respeita a decisão de quem quer outros tratamentos e não quer impor ivermectina para ninguém, embora a recíproca não seja verdadeira. O senhor dirá que é por causa da transmissão do vírus, só que estudos científicos comprovaram que pessoas assintomáticas não transmitem a Covid-19, e não divulgam nem levam em consideração esses estudos. Desde o início das medidas sanitárias, sempre fizeram "vistas grossas" ao fato diuturno de que as aglomerações no transporte público contaminariam milhões de pessoas, e isso não ocorreu, ou se ocorreu, essas pessoas não adoeceram. São os frentistas, as caixas de supermercado, os enfermeiros, etc. Também existem estudos que comprovam a eficácia de ivermectina e outros para deter o avanço da doença nos pulmões. E negam esses estudos também. Com relação às vacinas, tanto no Brasil como em outros países, aumentam os casos de pessoas que falecem poucos dias depois de receber a segunda dose da vacina, e esses casos não são noticiados pela grande mídia. Pode verificar em "t.me/TVAMARANTE". Por favor, analise racionalmente, não se negue a questionar pelo bem da Ciência.

Estudos científicos e dcisões judiciais

Rejane G. Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

https://www.lifesitenews.com/news/asymptomatic-transmission-of-covid-19-didnt-occur-at-all-study-of-10-million-finds
>
https://newsnow.tasr.sk/features/health-ministry-okays-use-of-ivermectin-in-fight-against-coronavirus

https://trialsitenews.com/top-yale-doctor-researcher-ivermectin-works-including-for-long-haul-covid

https://hospitalpharmacyeurope.com/views/ivermectin-time-for-action

https://www.contrafatos.com.br/decisao-historica-do-tribunal-de-apelacao-de-portugal-contra-os-bloqueios-porque-eles-foram-baseados-em-testes-de-pcr-nao-confiáveis

https://greatgameindia.com//pfizer-fraud-settlement/

documentários

Rejane G. Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

https://rumble.com/vbpa59-pl4nd3mic-2-indoctornation-legendado-pt-br-pandemia-planejada-do-covid-19.html

https://archive.org/details/fogo.nas.veias-documentario

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/06/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.