Consultor Jurídico

vestígios e genética

Pesquisas da USP desenvolvem aprimoramento das análises forenses

Pesquisadores do Departamento de Química da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da Universidade de São Paulo iniciaram duas pesquisas sobre análise forense. Os projetos foram aprovados no Programa de Cooperação Acadêmica em Segurança Pública e Ciências Forenses (Procad) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Reprodução

Um deles busca desenvolver novos métodos de análise de microvestígios — solos, resíduos de explosivos e disparos de armas de fogo etc. — em locais de crime, para garantir a sua coleta, preservação e processamento de forma não destrutiva. O estudo é coordenado pelo professor Marcelo Firmino de Oliveira. As informações são do Jornal da USP.

A outra pesquisa é coordenada pelo professor Celso Teixeira Mendes Junior e busca melhorar a capacidade de se predizer fenótipos — características observáveis de um organismo —  a partir de amostras biológicas encontradas nos locais de crimes. Este estudo é feito em colaboração com pesquisadores de diversas outras instituições.

Amostras de DNA coletadas de vestígios permitem a análise de características genéticas que podem identificar os autores dos crimes, ou pelo menos melhorar o direcionamento das investigações. Atualmente, as ferramentas de predição a partir do material genético no país são limitadas.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 4 de junho de 2021, 16h07

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 12/06/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.