Consultor Jurídico

Avaliação jurídica

Ter árbitros advogados ajuda no controle de legalidade dos atos, dizem analistas

Por 

Ainda que seja importante ter especialistas na matéria em discussão no quadro de julgadores, é importante que pelo menos um dos árbitros seja advogado, para controlar a legalidade dos atos procedimentais.

Ter árbitros advogados ajuda no controle de legalidade dos atos, dizem analistas
Reprodução

Essa é a opinião do ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco e do ex-diretor da Comissão de Valores Mobiliários Marcelo Trindade. Os dois participaram, na quarta-feira (2/6), do evento 9th ICC Brazilian Arbitration Day.

Trindade apontou que a presença de um advogado no corpo de árbitros é benéfica ao procedimento, pois permite o controle de legalidade dos atos. E os demais julgadores podem ser especialistas na matéria em discussão.

Para o ex-diretor da CVM, é importante que a cláusula arbitral estabeleça o perfil dos árbitros a serem nomeados caso haja uma disputa. Afinal, é mais fácil as partes chegarem a um consenso "no casamento do que no divórcio", disse Trindade.

Já Gustavo Franco apontou que o controle de legalidade pode se tornar um problema se um dos lados indicar um árbitro advogado, e o outro, não. Afinal, as discussões sobre a legalidade ou não dos atos serão ainda mais intensas.

Segurança jurídica
Para Gustavo Franco, o desenho da arbitragem tem que ser muito bem feito, para que, após a sentença, as partes não continuem brigando no Judiciário.

Marcelo Trindade ressaltou a importância de o Judiciário respeitar as decisões arbitrais e só as revogar em caso de falha ou ilegalidade grave, de modo a preservar a segurança jurídica do procedimento.




Topo da página

 é correspondente da revista Consultor Jurídico no Rio de Janeiro.

Revista Consultor Jurídico, 4 de junho de 2021, 10h32

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 12/06/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.