Consultor Jurídico

Cloroquina eleitoral

TSE desmente em tempo real teorias da conspiração levantadas por Bolsonaro

Por 

A live feita na noite desta quinta-feira (29/7) pelo presidente Jair Bolsonaro foi anunciada como o momento em que ele apresentaria provas da insegurança do sistema eleitoral brasileiro. O que se viu, contudo, foi uma série de ilações sem respaldo, que foram desmentidas em tempo real pelo perfil do Tribunal Superior Eleitoral no Twitter.

TSE desmentiu didaticamente boatos
sobre a segurança do sistema eleitoral
Reprodução

O próprio presidente admitiu que não dispõe de prova alguma para corroborar suas desconfianças. "Não tem como se comprovar que as eleições não foram ou foram fraudadas. São indícios. Crime se desvenda como vários indícios", disse ele.

Os "indícios" apresentados pelo presidente circulam há anos na internet e já foram desmentidos exaustivamente.

Durante a transmissão, foram apresentados vídeos que tentam demonstrar que é possível fraudar o código-fonte das urnas eletrônicas para computar o voto de um candidato para outro.

O TSE, por seu lado, lembrou que "a integridade, segurança e auditabilidade da urna eletrônica são testadas e comprovadas publicamente em todas as eleições gerais e municipais do Brasil e acompanhadas por representantes da sociedade por meio do teste de integridade".

Derretendo nas pesquisas eleitorais, o presidente disseminou informação mentirosa ao dizer que só três países no mundo usam urna eletrônica, entre eles o Butão. O TSE, por sua vez, esclareceu que 23 países usam urnas com tecnologia eletrônica em suas eleições gerais e outras 18 nações usam a urna em pleitos regionais. "Entre os países estão o Canadá, a Índia e a França, além dos Estados Unidos, que têm urnas eletrônicas em alguns estados", diz trecho da checagem.

Por fim, o presidente afirmou que a apuração dos votos será feita pelos "mesmos que tornaram o ex-presidente Lula elegível e que o tiraram da cadeia". A verdade, porém, é que a apuração dos votos é feita de forma pública.

Em seu portal, a corte eleitoral apresentou uma longa lista de links com desmentidos de informações falsas apresentadas pelo presidente da República. Eis alguns deles: 

 Alegação de que há sala secreta no TSE:

https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2021/Julho/fato-ou-boato-e-falso-que-a-apuracao-das-eleicoes-seja-feita-de-forma-secreta-por-servidores-do-tse

Alegação de que a tecnologia da urna é a mesma desde 1996, de modo que estaria desatualizada:

https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2021/Julho/urna-eletronica-inconfundivel-por-fora-cada-vez-melhor-por-dentro

Alegação de que prisão de hacker indica possibilidade de invadir sistema do TSE:

https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2021/Junho/fato-ou-boato-ataques-hackers-nao-afetaram-a-seguranca-das-eleicoes-municipais-de-2020 

https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2021/Julho/fato-ou-boato-urna-eletronica-brasileira-nao-foi-hackeada-nos-estados-unidos 




Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 29 de julho de 2021, 21h13

Comentários de leitores

24 comentários

TSE Mente mais que o "homem da cobra"

Sabatel (Consultor)

“O TSE fez um vídeo dizendo que o boletim de urna, por si só, já possibilita a auditoria, como se não fosse justamente o seu conteúdo que estivesse sob suspeita. O boletim de urna não é a prova, é o INVESTIGADO.”

O STF não possui credibilidade

Paulo Roberto Pereira (Investigador)

Fui criado admirando e respeitando os Ministros do STF, durante o curso de Direito acreditava serem eles uns semi deus, hoje os considero inferiores, pessoas que não merecem nenhum respeito.

Voto impresso auditável

Eduardo - Gaúcho (Administrador)

Qual o problema em termos mais transparência no processo democrático do País?
Ora, em 2015 quando a DilmANTA vetou essa possibilidade de impressão do voto, inúmeros políticos [que hoje são contra] derrubaram o veto para que houvesse maior transparência nas eleições.
Porém, o STF declarou inconstitucional por "POTENCIALIDADE DE RISCO NA IDENTIFICAÇÃO DO ELEITOR".
Bah.
Sério que utilizaram esse argumento para derrubar a vontade popular manifestada por ampla maioria do Congresso?
Enfim, gostaria que o TSE não se metesse em assunto de interesse público. Ou seja, aquele tribunal deve respeitar e obedecer as regras eleitorais determinadas pelas leis do Brasil que são aprovadas conforme a vontade popular.
O TSE interferir nesse processo não me parece ser o papel dele.

O povo é o contrte e deve exigir segur. naquilo que contrata

João Domingos da Silva (Advogado Autônomo - Civil)

O Brasil não é das pessoas que o administram, nem dos que interpretam, aplicam ou fazem as leis. O Brasil é dos Brasileiros, o Brasil é do POVO!
O POVO tem autonomia para fazer valer aquilo que entende para salvaguardar seus sagrados e fundamentais direitos de ir, vir, de propriedade particular conquistada com seus esforços, de liberdade e de sistema que assegure a segurança de seus filhos.
O Brasileiro é o contratante, que paga pelo serviço que achar de melhor custo beneficio!
Se o Brasileiro, diante de tantas dúvidas, surgidas em desvios de condutas em votações anteriores, não acredita no sistema até agora vigente, qual mal há em que como contratante exija ele, contrate ele um serviço mais atualizado, ainda que custe mais caro, ainda que demore mais?
Há dele querer que a coisa fica o mais bem feito possível já que perfeito é impossível.
Porém, DÚVIDA, AH, ESSA DE JEITO NENHUM!
Eu Brasileiro, sou o contratante eu estou pagando!
EU VOU CONTRATAR O VOTO AUDITÁVEL!!!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 06/08/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.