Consultor Jurídico

Um novo homem

Advogado que não possuía sobrenome materno consegue alterar registro civil

Uma pessoa pode pedir retificação do registro de seu nome quando vislumbrar que este não exprime, com exatidão, a verdade. Assim entendeu a Vara de Registros Públicos e Corregedoria do Foro Extrajudicial de Palmas (PR) ao deferir o pedido de um advogado que solicitava acrescentar os sobrenomes da mãe e da avó materna em seu registro civil.

Em seu registro, o homem recebeu somente os sobrenomes paternos 
Agência Brasil

Segundo os autos, o autor recebeu somente o sobrenome de seu genitor, "Alves Tibes", e ficou com o mesmo nome de seu genitor, razão pela qual foi acrescido "Júnior". Segundo o homem, no processo de obtenção de nacionalidade espanhola, é necessário a inclusão do sobrenome da mãe, o que levaria o autor a ter dois nomes, um no Brasil e outro na Espanha. Assim, o homem entrou com ação e solicitou a inclusão dos sobrenomes maternos "Ribas" e "Matzenbacher" no registro brasileiro — da avó e mãe do advogado, respectivamente. Os dois sobrenomes, de todo modo, foram passados a elas por ascendentes homens.

Ao analisar o processo, o juiz Lúcio Rocha Denardin observou que os artigos 109 e 110 da Lei 6.015/1973 autorizam o interessado a pedir retificação do registro quando vislumbrar que este não exprime, com exatidão, a verdade. "No caso em apreço, como o requerente não possui o nome patronímico de sua genitora em seu registro de nascimento, deve-se suprir a sua ausência, mediante retificação nos livros próprios do cartório responsável", concluiu. 

Assim, o nome original do advogado — Célio Alves Tibes Júnior — passou a ser Célio Ribas MatzenBacher Tibes. Segundo ele, a alteração é uma homenagem à mãe e à avó materna.

0002001-24.2021.8.16.0123
Clique aqui para ler a decisão




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de julho de 2021, 16h55

Comentários de leitores

2 comentários

Malatesta

Fabio Malatesta (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Da mesma forma, em 2004, ajuizei, em causa própria, para que ao meu nome fosse acrescentado o patronímico materno "Malatesta", sendo deferido pelo MM. Juiz da Vara de Registros Públicos de Brasília, Dr. Waldir da Paz Almeida. Parabéns!

Malatesta

Fabio Malatesta (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Em 2004, aqui em Brasília, ajuizei, em causa própria, ação com o mesmo propósito, a fim de que fosse acrescido o patronímico materno ao meu nome, sendo deferido pelo MM. Juiz da Vara de Registros Públicos, Dr. Waldir da Paz Almeida.

Comentários encerrados em 28/07/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.