Consultor Jurídico

Revolta da Vacina

Deputado entra na Justiça para que governo seja obrigado a comprar seringas

Retornar ao texto

Comentários de leitores

4 comentários

Hipocrisia

Gimenesbh (Engenheiro)

Um deputado que um verdadeiro fanfarrão, entrou na política de carona nos movimentos “vem pra rua” com a bandeira do Bolsonaro. Agora eleito, se acha e entra pra listas dos deputados “traíras” que só pegaram carona. Comprar seringas a qualquer custo?? Quem irá pagar a conta? A população com certeza. Dê exemplo ilustre deputado, renuncie suas verbas de gabinete, diminua seu alto salário, corte suas regalias. Seja exemplo de uma nova geração de deputados. Em Brasília temos um único deputado que fez isso.
É lamentável que antes de ser eleito, sempre defendeu bandeiras para redução de regalias.
Após eleito o discurso muda, todos querem mamar no Governo nas costas da sofrida população.

Hipócrita é quem defende uma atitude como essa...

Vinicius Falanghe (Advogado Autônomo - Criminal)

Prezado senhor "engenheiro", por acaso leu a peça inaugural, disponibilizada pelo site? Não, né... e, se leu, não entendeu nada, por mais claro e sucinto que o colega advogado tenha sido... hipocrisia é defender esse absurdo posicionamento do PR... como bem asseverado na inaugural, o PR deveria ter providenciado a aquisição das seringas ao longo do ano de 2020 e não poderia, agora, alegar a própria torpeza! Não defendo esse deputado, mas, nesse caso, ele tem absoluta razão... mais humanidade e menos política em tempos de pandemia... aliás, o senhor vai abrir mão de suas 2 doses de vacina, senhor "engenheiro"?

Difícil

JB (Outros)

Como cobrar de um presidente que não está nem aí para o povo, sobra somente a esfera jurídica e é dela que tem que ser decidida e impor a este executivo fascista o cumprimento das decisões em prol da nação brasileira.

Parlamento juduciário

Glaucio Manoel de Lima Barbosa (Advogado Assalariado - Empresarial)

Triste um Pais onde o parlamento só procura o judiciário. Deviam renunciar a missão imposta pelo POVO a ele.

Comentar

Comentários encerrados em 14/01/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.