Consultor Jurídico

Restituição lenta

Suiça mantém confiscados R$ 2 bilhões de suspeitos da "lava jato"

Bancos da Suíça ainda mantêm congeladas dezenas de contas relacionadas a suspeitos de corrupção investigados pela "lava jato" brasileira. A informação é do colunista Jamil Chade, do UOL

Dinheiro segue bloqueado na Suíça e pode demorar apara voltar ao Brasil
Reprodução

De acordo com a a reportagem, estão congelados 310 milhões de francos suíços, o equivalente a cerca de R$ 1,9 bilhão. A quantia aguarda definição jurídica ou a condenação dos suspeitos para ser liberada. 

A cooperação entre Brasil e Suíça se aprofundou a partir de 2015 e levou autoridades de Berna a inicialmente bloquearem 1,1 bilhão de francos suíços em 40 bancos diferentes. No decorrer dos anos, boa parte do valor foi devolvido aos cofres públicos dos diversos países lesados. 

Parte das restituições ocorreu por causa de acordos de delação premiada. Nas colaborações, suspeitos concordavam em dar informações sobre os esquemas de corrupção e em devolver o dinheiro desviado. 

A restituição, no entanto, só acontece quando os suspeitos são condenados em última instância em seu país de origem. Por isso, o retorno dos quase R$ 2 bilhões ainda podem demorar para acontecer. 




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de fevereiro de 2021, 14h01

Comentários de leitores

1 comentário

Dois bilhões

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

A Suíça poderia fazer um acordo com o Poder Executivo e transferir para um país pobre, de alma suja, corrupto, com uma população paupérrima, os dois bilhões, para aquisição de vacinas.

Responder

Ver todos comentáriosComentar