Consultor Jurídico

garantia dos créditos

Carta de fiança é válida para suspensão de débito tributário

Por 

A fiança bancária constitui garantia equivalente ao depósito em dinheiro do montante integral e é válida para a suspensão do débito tributário. Com esse entendimento, a 2ª Vara Federal de Curitiba concedeu tutela antecipada para reconhecer a carta de fiança de um fundo de investimentos em direitos creditórios (FIDC) como forma de antecipação de garantia referente ao débito de uma empresa com a Fazenda nacional.

Dollar Photo Club

O juiz Claudio Roberto da Silva lembrou que o artigo 206 do Código Tributário Nacional permite a expedição de certidão positiva com efeitos de negativa (CPEN) para suspender débitos "mediante a existência de garantia idônea aos créditos que venham a ser executados pelo Fisco, consubstanciada na efetivação de caução com base no seguro garantia oferecido pelo devedor".

Dessa forma, o magistrado não viu impedimentos para autorizar a obtenção da certidão de regularidade fiscal e impedir a inscrição da empresa — um hospital curitibano — no Cadastro Informativo de Créditos Não Quitados (Cadin). Com isso, a companhia conquistou o direito de manter sua atividade regular junto às instituições financeiras e seguir plenamente com suas operações comerciais.

No entanto, o juiz ressaltou que "a garantia oferecida não implica na suspensão da exigibilidade do crédito tributário", ou seja, a empresa permanece sujeita a eventual ação de cobrança dos valores devidos. Ele também frisou que a decisão é válida "desde que não exista outro impedimento além dos débitos garantidos pela carta de fiança apresentada". O hospital foi representado pela Marpa Gestão Tributária.

Clique aqui para ler a decisão
5005761-89.2021.4.04.7000




Topo da página

 é estagiário da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 18 de fevereiro de 2021, 21h55

Comentários de leitores

1 comentário

O Título da Matéria está Equivocado

Rodrigo Milano (Advogado Autônomo - Tributária)

A decisão contradiz em absoluto o título da matéria:

"Ressalto, por fim, que a garantia oferecida não implica na suspensão da exigibilidade do crédito tributário de maneira a obstar eventual ação de cobrança dos valores devidos".

Responder

Ver todos comentáriosComentar