Consultor Jurídico

Fundo do poço

Site divulga transcrição de vídeo em que deputado ataca STF e democracia

O site Poder360 divulgou uma transcrição da íntegra do vídeo do deputado Daniel Silveira, que foi tirado do ar após a prisão dele nesta terça-feira (16/2) por ordem do ministro Alexandre de Moraes.

No vídeo, o deputado xinga e ameaça ministros do Supremo, defende a ditadura e incita animosidade das Forças Armadas contra outros poderes, o que justificou sua prisão em flagrante por decisão de Alexandre. A conduta fere a Constituição e a Lei de Segurança Nacional, segundo o ministro.

Segundo fontes ouvidas pela colunista Juliana Dal Piva, do UOL, o deputado gravou esse vídeo para impressionar o presidente Jair Bolsonaro. As pessoas ouvidas disseram que Silveira "não andava tão bem" com o presidente e as pessoas próximas a ele. As rusgas teriam surgido, conta a jornalista, a partir das eleições do ano que vem, já que havia dúvidas quanto às mudanças de partido e à fidelidade do deputado ao presidente e ao bolsonarismo. O vídeo, então, seria uma "prova de lealdade".

Além dos trechos já destacados por Alexandre para justificar a prisão, há ofensas muito mais pesadas: para começar, ele abre o vídeo dizendo que o ministro Luiz Edson Fachin tinha 'decidido' chorar. "Fachin, seu moleque, seu menino mimado, mau caráter, marginal da lei, esse menininho aí, militante da esquerda, lecionava em uma faculdade, sempre militando pelo PT, pelos partidos narcotraficantes, nações narcoditadoras."

"Agora, que você tem que tomar vergonha na sua cara, olhar, quando você for tomar banho, olhar o bilauzinho que você tem e falar: ‘Pô, eu acho que sou um homenzinho. Eu vou parar com as minhas bobeirinhas’", continua ele, baixando o nível.

Ele também se refere ao ministro Alexandre como "Xandão do PCC", tentando associá-lo à facção criminosa Primeiro Comando da Capital. Pelo mesmo motivo, outros desclassificados já foram condenados pela Justiça a indenizar o ministro.

Adiante, Silveira ainda diz que Alexandre mandou maltratar o blogueiro Oswaldo Eustáquio na prisão porque a busca e apreensão na sua casa, do próprio Silveira, não resultou em nada, segundo ele próprio. "É claro que tu não vai achar, idiota, eu não sou da tua laia, eu não sou da tua trupe. Dessa bosta de gangue que tu integra."

O nível desce ainda mais no final do vídeo: "Realmente, vocês são impressionantes. Fachin, um conselho para você: vai lá e prende o Villas Bôas, rapidão, só pra gente ver um negocinho. Se tu não tem coragem, porque tu não tem, tu não tem culhão roxo pra isso. Principalmente o Barroso, aí que não tem meso. Na verdade ele gosta do culhão roxo. Gilmar Mendes… isso aqui é só [gesticula com os dedos indicando dinheiro]… Barroso o que que ele gosta? Culhão roxo. Mas não tem culhão roxo. Fachin, covarde. E Gilmar Mendes… é isso que tu gosta, né, Gilmarzão? A gente sabe."




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 17 de fevereiro de 2021, 12h29

Comentários de leitores

1 comentário

Masmorras

Flávio Marques (Advogado Autônomo)

Alguém que defende que sejamos jogados nas trevas novamente; tortura; AI-5; que se encontra resguardado pela liberdade de expressão e pelo art. 53 CF dizeres do tipo: "a nata da bosta do STF", "sua cara de filho da puta que tu tem", "Quantas vezes eu imaginei você, na rua, levando uma surra", "olhar o bilauzinho que você tem e falar", "Na verdade ele gosta do colhão roxo", "seu moleque, seu menino mimado, mau caráter, marginal da lei", "Comigo vocês sentaram e sentaram do meio pra trás", "o AI-5 que é o mais duro de todos como vocês insistem em dizer, aquele que cassou 3 ministros da Suprema Corte, você lembra? Cassou senadores, deputados federais, estaduais, foi uma depuração. Com recadinho muito claro: se fizer besteirinha, a gente volta", deve simplesmente ser jogado nas MASMORRAS brasileira pelo máximo de tempo legalmente previsto! Outra: os "operadores" do direito (pseudo-operadores, na verdade) que acham - só achismo, pois está longe do conhecimento técnico - que o parlamentar arruaceiro tem o direito de dizer aquele vasto repertório chulo, sugiro-lhes que procurem outra profissão, de MMA, se possível, pois Direito não é para vocês. Certamente, nunca leram um livro de direito fundamental durante a graduação - nem sei como conseguiram passar então, "colando"? Nem vou falar de hermenêutica, pois, aí, é exigir demais. Não há qualquer direito que respalde a conduta criminosa do parlamentar arruaceiro - ao menos não no ordenamento jurídico brasileiro.

Comentários encerrados em 25/02/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.