Consultor Jurídico

Terça liberada

Desembargador do TJ-SP manda YouTube reativar canal de blogueiro bolsonarista

A jurisprudência reconhece a primazia da liberdade de expressão. Com esse entendimento, o desembargador Mathias Coltro, da 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, determinou que o YouTube reative o canal do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, conhecido como Allan Terça Livre.

TJ-SPO canal do blogueiro bolsonarista
Allan Terça Livre poderá voltar ao ar

O canal havia sido desativado porque, segundo o YouTube, propagava fake news. O blogueiro recorreu e a liminar foi concedida pelo relator no TJ-SP. Coltro argumentou que, em uma análise preliminar, a remoção do canal "se mostra desproporcional, violando a garantia constitucional da liberdade de expressão e de informação". 

"De se ressaltar, também, que, segundo o afirmado pela autora, trata-se de canal estabelecido, na dita plataforma digital, há seis anos, com mais de um milhão de inscritos e oito mil membros assinantes, além de contar com uma equipe de 50 funcionários e ter inúmeras despesas para sua manutenção, de forma que a simples exclusão das contas se revela medida por demais drástica", completou.

O magistrado afirmou ainda que não há dano ao YouTube, dada a reversibilidade dos efeitos da decisão, que ainda será apreciada pela turma julgadora na 5ª Câmara de Direito Privado.

Processo 2022916-62.2021.8.26.0000
Clique aqui para ler a decisão




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 13 de fevereiro de 2021, 11h52

Comentários de leitores

3 comentários

Uma pergunta somente.

Car.Borges (Bacharel)

A jornalista Mônica Bergamo também vai ser nomeada como "Blogueira Petista", uma pergunta somente.

Allan dos santos - ii

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

de ser "um dos mais conhecidos propagadores de fake news na internet" por parlamentares de oposição, Allan dos Santos foi convocado para depor na CPMI da Fake News. Nela ele expôs o Partido dos Trabalhadores, reafirmou seu apoio ao Bolsonaro e negou recebimentos de dinheiro público, porém foi criticado por parlamentares que acusaram que havia promovido notícias falsas e a LGBTfobia, além de ter influenciado o resultado das eleições gerais no Brasil em 2018. O deputado Alexandre Frota acusou ele de enriquecimento ilícito e sugeriu a quebra do sígilo bancário, algo que mais tarde a CPMI aprovou.[11][12][13][14][15]

Allan ainda divulgou que o jornalista de esquerda Glenn Greenwald teria sofrido um ataque cardíaco por uso de cocaína.[16] Poucas horas depois da matéria divulgada no Terça Livre, Glenn divulgou um vídeo com os filhos em casa.[16] Questionado sobre a matéria falsa, Allan se recusou a responder quais foram as fontes que ele usou para afirmar que Glenn havia infartado.[16][17]
COVID-19
No Twitter, várias publicações de sua autoria que questionavam a Pandemia de COVID-19 no Brasil foram deletadas por serem consideradas fake news pela rede social, entre elas estavam as acusações vindas Olavo de Carvalho de que só poderia se afirmar que alguém morreu de coronavírus após autópsia em todos os órgão. Em outro post na plataforma, Allan dos Santos comparou a tortura do povo judeu no Holocausto com a atitude do ministro Luiz Henrique Mandetta a respeito do cloroquina, analogia que foi condenada oficialmente pela Confederação Israelita do Brasil (Fonte Wikipédia).

Allan dos santos

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

Allan Lopes dos Santos (Itapecerica da Serra) é um blogueiro e jornalista brasileiro. É o editor geral do Terça-Livre, uma publicação on-line que promove "teorias de conspiração" sobre políticas dos brasileira e internacionais,[1] onde ocasionalmente apresenta só ou em conjunto com outros blogueiros.
Biografia
Nascido em Itapecerica da Serra na região metropolitana de São Paulo, Allan dos Santos entrou no seminário e concluiu seus estudos, porém não foi ordenado padre, mais tarde trabalhou como um professor de inglês. Em 2014, Allan dos Santos fundou o canal Terça Livre, afirmando que ele buscava "vencer o comunismo, as Farc [forças revolucionárias colombianas] e todo o trabalho de guerrilha armada no Brasil". Atualmente, ele mora na cidade de Monte Belo do Sul na serra gaúcha, onde administra a empresa Terça Livre. Também foi cotado para assumir a Secretaria de Comunicação Social na sucessão de Fábio Wajngarten, recebendo o apoio de Carlos Bolsonaro.
Controvérsias
Acusações de recebimento de dinheiro público
Em 2019, o UOL acusou o Partido Social Liberal de está pagando despesas de Allan dos Santos por meio do Fundo Partidário, mais tarde no começo de 2020 a revista IstoÉ afirmou que a Secom está dando 100 mil reais para ele defender o governo, citando como prova a mansão que ele alugou no Distrito Federal, alguns meios de comunicação como o jornal The Intercept Brasil acusaram ele, junto com outros influenciadores, de serem hipócritas por terem afirmado no passado que jamais receberiam recursos do governo. Tanto Allan dos Santos quanto o Governo Federal negam que teve financiamento público no Terça Livre.
CPMI da Fake News
Devido a sua influência entre os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e por ser acusado de (continua)...

Comentários encerrados em 21/02/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.