Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Mestre inesquecível

Danielle Rocha (Advogado Autônomo - Civil)

Tive a honra de ser aluna deste brilhante jurista e advogado. Oratória diferenciada, apresentava o Direito comunicando-o com diversas outras áreas do conhecimento. Era um humanista, velava pela linguagem ética. Ficam os seus ensinamentos para serem replicados. Um adeus ao homem, mas não ao que semeou!

Talvez o último de caráter, cultura e retidão exemplares

JALL (Advogado Autônomo - Comercial)

Conheci o Dr. Ariel em Curitiba, durante o governo militar (1972) cujo cliente pediu-me contratar um advogado em Curitiba para impetrar um mandado de segurança contra a TELEPAR, por fraude em licitação. Sua coragem em enfrentar o statu quo foi daquelas de herói de cinema americano. Havia quem recomendasse outro escritório. Mas pela independência profissional, visitei alguns e o único 100% ético com uma grande autoridade moral que me inspirou grande respeito foi o Dr. Dotti, de quem desde então fiquei amigo e admirador. Comportamento ético profissional impecável. Impôs condições de cunho de independência e liberdade, pouco aceitáveis na época. O cliente revidou e eu banquei prevendo que estava tendo a oportunidade de contribuir para advocacia contratando os serviços desse profissional extraordinário. Que descanse em paz! Seu legado ficou.

\"brincadeira"

Flávio Marques (Advogado Sócio de Escritório - Eleitoral)

Como o Direito brasileiro tem sofrido, ora com ataques advindos deste (DES)governo "fascista", ora com um incomensurável ativismo judicial (vulgo, "ditadura da toga"), ora com a perda de grandes Juristas (com "J" bem maiúsculo). É uma perda que não se repõe! Se tivéssemos um parlamento sério, já teríamos feito um novo CP para expurgar este velho CP de alma ditatorial! Perdemos a oportunidade de editarmos um novo CP e recebermos as lições de Dotti. Na verdade, temos perdidos oportunidades: não tivemos as lições de Hely Lopes no direito administrativo, que não teve tempo de atualizar a sua grandiosa obra conforme a nova CF/88; mesmo caso com o brilhante Caio Mário, que não nos ensinou o novo-velho CC/02; idem para um dos gênios do processo, José Carlos Barbosa. No empresarial, o saudoso Rubens Requião. Agora, com o Dotti. Lástima!!!! Triste dia, triste início de ano. Quem dera se muitos dos ditos "operadores do direito" lessem e entendessem Dotti; certamente, não teríamos os pseudopaladinos do Direito - e nem comentários de "advogados" e pitaqueiros que aqui escrevem a Lei de Talião, porquanto nunca abriram um livro de processo penal e direito penal de "quilate". À Valhalla, Dotti, pois combatera um bom combate no Direito Penal dos facínoras... e, eu, tomarei uma boa cerveja artesanal em sua homenagem! Saudações!!!

Pesar

Bruno Miano (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Uma perda com reflexos inalcançáveis. Morre um dos grandes cultores do Direito Penal, cujos livros e artigos, escritos com excelência, propiciavam reflexão e aprendizado.

Ao Mestre com carinho

Emilio A Paschoal (Advogado Autônomo - Criminal)

Construiu gerações de seguidores com sua capacidade de ensinar direito com requintes de humanidade e humildade dos eméritos mestres.

Comentar

Comentários encerrados em 19/02/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.