Consultor Jurídico

Classificação Etária

Governo barra "Um Príncipe em Nova York", mas precedente autoriza exibição

Retornar ao texto

Comentários de leitores

10 comentários

Quando o reino

Francisco de Assis Silva Araújo (Advogado Autônomo - Família)

No meio de tantos intelectuais terraplanistas, ultraconservadores, mesmo conscientes da notória perversão que acomete aos degradados filhos de Eva. São eles defensores de tudo, inclusive da moral e bons costumes. Os argumentos como acabou p...., e a proposta de encaminhamento do leite condensado aos jornalistas são integrantes do mesmo pacote de moralidade. O que é moral ou não, próprio ou impróprio, como bem explica a psicologia, depende! É preciso não se calar, denunciar o grande causador de tudo isso, o tédio, este grande inimigo do Brasil. Traiçoeiro, altamente perigoso, está sempre ao nosso lado da caserna ao sindicato, sempre à espreita pronto para nos atacar. Somente ele é capaz de explicar tanta intelectualidade de revolver, depois de viver um século. Como eu, estes grandes intelectuais devem concordar que para nosso desespero os melhores filmes passam na sessão da tarde. Assim, é compreensível de tais pérolas podem ser enunciadas por aqueles que são remunerados pelos cofres públicos. Sim acabamos com o tédio ou ele acabará com nós.

Gostei

Olympio B. dos S. Neto (Advogado Autônomo)

Excelente consideração

Mas, e o motivo?

Neli (Procurador do Município)

Mas, e o motivo?Não há nenhum motivo para censurar, por faixa etária, esse filme: não tem pornografia, não tem violência.
Violência, dona Censura, são as mortes de mais de 231 mil brasileiros, por desídia do governo federal.
Se não fosse o Estado de São Paulo ir em busca das vacinas , a dupla bolsonaro e panzuelo estaria no ar que nem baratas tontas.
E censurando filme antigo? Falta do que fazer!
Data vênia.

Manchete fake news

Ricardo A Borges (Advogado Sócio de Escritório)

O conflito ético entre se ater aos fatos e vender cliques mais uma vez dá as caras.
Se há entendimento pacificado (e anterior) no sentido de que a Classificação etária é apenas indicativa, não houve tentativa de "barrar" alguma. Apenas se houvesse outros fatos tal dedução poderia ser feita, mas dizer que a reclassificação etária do filme teve a intenção de "barrar" a exibição é fake news.
Após a leitura do texto fica clara a falsidade da imputação feita na manchete. Em país cujos cidadãos se informam por "manchetes", o conflito vai gerando cada vez mais vítimas.
Deveras, essa postura de caça-cliques torna-se cada vez mais intolerável.

um principe em Nova York

E.S.C.SANTOS (Advogado Autônomo - Civil)

É incrível como o governo se preocupa com a troca de faixa etária de um filme "inocente", pois existem filmes muito piores e nada é feito, o engraçado que um crime prescreve em 20 anos e uma indicação de faixa etária pode ser julgado depois de 30 anos. Esse é o nosso país.

PTB

Lincoln Silva (Advogado Autônomo - Civil)

PTB poderia ir lá no morro proibir as criança de serem: aviões, seguranças de traficantes etc.

Enxugando gelo

Debackx (Advogado Autônomo - Civil)

Mas quando o governo consegue trabalhar o povo reclama rs
Qual a classificaçao de "golden shower" para um twiter publico?

Indicação de faixa etária

Arieleletrica (Engenheiro)

Os membros do Governo Bolsonaro o imitam até na criação de polêmicas. Gente atrasada, que acredita possuir poder de disciplinar o que o cidadão pode e quando assistir.

Utopia

Washington Oliveira (Administrador)

amo o Direito apesar de ter escolhido TI o Direito e suas "ramificações interpretativas" desde pequeno me atraíram!
só que atualmente o interpretar virou uma Babilônia... me mantendo apenas neste fato do filme... como é possível se admitir homens ou mulheres se acariciando de forma sexual e lasciva em programas de tv e um filme bobo e pastelão como "Um Príncipe em NY" sofrer censura?

ECA?

Leonardo Orlandi (Comerciante)

Existe classificação indicativa para os "funks"?

Comentar

Comentários encerrados em 15/02/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.