Consultor Jurídico

Sujeito a críticas

TJ-SP nega indenização a Weintraub por ser chamado de desqualificado

Retornar ao texto

Comentários de leitores

6 comentários

Relativismo

AC-RJ (Advogado Autônomo)

A declaração "Ninguém está mais sujeito à crítica do que o homem público, e muitas vezes dele se poderá dizer coisas desagradáveis" é muito relativa. Experimente alguém do povo emiti-la contra alguma autoridade do Poder Judiciário. As consequências serão bem pesadas, com certeza.

Perfeita decisão!

Neli (Procurador do Município)

A r. decisão é perfeita! A pessoa pública (homem/mulher), é sujeita a ônus .Um deles e ser criticada diuturnamente. É um ônus, pesado(receber críticas? !), mas que se compensa com inúmeros bônus! E meus cumprimentos ao Poder Judiciário.

Totalmente desqualificado

JCCM (Outros)

E continua plenamente desqualificado para o cargo atual, onde percebe em dólares...
Podia a justiça aproveitar esta oportunidade promover sua intimação, via advogado constituído e atuante em sua pretensão de censura de opinião alheia, para vir a responder por atos objetos de ações das quais "se pirulitou" de mansinho, utilizando indevidamente a condição de ministro, quando já não mais o era efetivamente,

Bem feito!

Um advogado de butuca (Advogado Assalariado - Administrativa)

Ainda bem que a Justiça agiu acertadamente! O dito indivíduo realmente era desqualificado para o cargo, além de boquirroto e atrevido. Não foi somente na escrita que ele cometeu erros grosseiros ao se manifestar na condição de ministro da Educação. Basta lembrar, erro grosseiro, absurdo mesmo, do caso da porcentagem de bombons, cometido em rede nacional ao lado do também desqualificado para cargo presidente da República. Quem não se lembra?... Decisões acertadíssimas! Melhor do que só isso, só quando Weintraub for condenado e preso.

Doctor abraham

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

"Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub (São Paulo, 11 de outubro de 1971) é um economista e professor brasileiro, docente da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Foi ministro da Educação do Brasil entre 2019 e 2020 e em julho de 2020 foi eleito diretor executivo do 15.º Distrito do conselho administrativo do Banco Mundial, substituindo a economista filipina Elsa Agustin" (Fonte Wikipédia).

Desqualificado

Paulo Passos de Oliveira (Professor)

O senhor Weintraub foi alçado ao Ministério da Educação menos por suas qualidades como docente, e mais por alinhamento político à ala ideológica do governo Federal. De fato, foi indicado pelo astrólogo e guru, autointitulado filósofo, que possui apenas Ensino Fundamental, Olavo de Carvalho. Como pesquisador, Wintraub tem produção irrelevante - basta conferir seu currículo na plataforma Lattes. O ex-ministro ficou mais famoso pelo embaraço diplomático que criou com a China, e pela linguagem vulgar usada nas redes sociais, do que por suas realizações à frente de sua pasta. Politicamente, também foi responsável por declarações que geraram as primeiras manifestações de rua contra o governo de Jair Bolsonaro. Foi demitido após a ala militar a apoiadores do próprio presidente não aguentarem a pressão para que saísse. Sua última aparição pública, ao lado de Bolsonaro, logo após a demissão, revelou constrangimento das duas personagens. A "promoção" de Weintraub para o banco mundial pode ser conhecida como "prêmio de consolação" por sua fidelidade ao estilo publicamente grosseiro adotado pelo chefe do Executivo. Em outras palavras, Weintraub "caiu para cima", deixando como legado apenas polêmicas, publicações vulgares na internet, e uma gestão considerada indigente por professores, profissionais da educação e estudantes. Foi o homem errado para uma pasta tão importante para o Brasil.

Comentar

Comentários encerrados em 10/02/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.