Consultor Jurídico

Comentários de leitores

20 comentários

Balsamo

JCCM (Outros)

Este periódico é um balsamo àqueles que teimam em ter opinião própria, sem as manipulações televisivas e jornalísticas ou mesmo de blogs criadores de fake news...

Recebam o meu efetivo apoio em forma de agradecimento.

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Que piada...

Viva a Lava Jato!

Afonso de Souza (Outros)

Lava Jato do Paraná é dissolvida com saldo de 278 condenações e 4,3 bilhões recuperados.

Graças às suas ações, mais de R$ 4,3 bilhões foram devolvidos aos cofres públicos por meio de 209 acordos de colaboração e 17 acordos de leniência, nos quais se ajustou a devolução de quase R$ 15 bilhões.

As provas obtidas e compartilhadas com outros órgãos, como TCU, AGU, Receita, entre outros, possibilitaram o desenvolvimento de trabalhos em diversas outras frentes, contribuindo para a descoberta de outros crimes ou ações ilícitas. A Receita Federal, por exemplo, realizou lançamentos tributários de mais de R$ 22 bilhões.

Um divisor de águas no combate à corrupção no Brasil!

P.S. De acordo com a portaria assinada pelo PGR em 7 de dezembro, quatro procuradores do Paraná ex-integrantes da força-tarefa integrarão o Gaeco com mandatos até agosto de 2022.

Interesses espúrios

João pirão (Outro)

Não podemos falar sobre interesses espúrios sem falarmos do cargo de Ministro da Justiça que ganhou o principal articulador, como prêmio pelos valiosos esforços. Mal sabiam que no tabuleiro eram apenas peões sacrificados para garantir a sobrevivência da decrépita rainha, que só pretende fazer o roque com um dos seus descendentes (nº 01, 02 ou 03), ainda que tenha que sacrificar suas melhores peças nesse obscuro jogo.

Discordo

Afonso de Souza (Outros)

Pois "interesses espúrios" tinham (ainda têm) aqueles políticos condenados por corrupção, e também aqueles que os defendem fora dos processos jurídicos.

Esse

Daniel Oliveira Neves (Advogado Autônomo)

O Hélio das conversas é ávido procurador que comenta por aqui com frequência?

Mais do mesmo

Max (Advogado Autônomo)

Sempre os mesmos defensores da velha bandidagem. Às vezes, parece que são membros dos partidos sumariamente citados pelas cachorradas e falcatruas.
O sr. Ministro Gilmar Mendes, deveria ter se decretado impedido no caso daquele acusado que era defendido pelo escritório de sua ex-esposa. Mas apenas disse que era normal, e fica bem questionável sua conduta também à frente da Satiagraha, quando três instância mantiveram as prisões, e ele num único despacho disse que eram incabíveis.
Observo que só no Brasil, esse falso garantismo parece tão evidente. E só para bandidos do colarinho branco, porque se fosse para um pobre condenado por roubar um real para matar a fome, o HC dele estaria numa fila para apreciação de no mínimo seis meses.
Às vezes, realmente, é difícil ser brasileiro.

E se!

João Henrique Laskovski (Advogado Assalariado - Civil)

E se o Estado legítimo é completamente corrupto e não cumpre a função de "Estado" buscando o melhor para o povo. E se o Estado legítimo edita leis que impedem o fim da corrupção sistêmica. E se todas as leis editadas pelo Estado legítimo favoreçam única e exclusivamente os seus atores.
Nessa hipótese, é ilegítimo a criação de um Estado paralelo para o combate aos detratores do estado legítimo?

SIM!

Advogado (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Totalmente ilegítimo! Aliás, raciocínio que demonstra espírito totalitário. Se a democracia e o Estado de Direito são imperfeitos, há mecanismos intrínsecos para aprimorá-los. Jamais os fins, quaisquer que sejam, justificarão os meios. Flertar com esse pensamento é o primeiro passo para justificar o despotismo, ainda que eventualmente "esclarecido".

E se?

JCCM (Outros)

E se legitimamente cada descontente buscar nas urnas mudar os atores que produzem o arcabouço legislativo, promovendo diálogos amplamente democráticos entre todos nós cidadãos, exigindo aí sim uma campanha eleitoral aberta, sem debates engessados, manipulados, restritivos.

Quem sabe então tenhamos eleitos com a lucidez de informações levadas ao povo de modo transparente, onde todas as correntes ideológicas tenham oportunidade de proferir suas ideias e ao mesmo tempo salutar contradita.

Hoje e sempre, é fato, no Brasil, não temos eleições abertas, longe de vícios de manipulações midiáticas promovidas por interesses poderosos.

Basta como exemplo as reformas ditas imprescindíveis, repetidas a exaustão pelos jornalões e redes de televisão nas mãos dos poderosos, onde argumentos consistentes, contrários aos interesses, não tem a menor chance de serem expostos.

Agora, ilegítimo é meia dúzia de mauricinhos se colocarem como salvadores da Pátria sem que para isto tenham aferido um único voto nas urnas.

Cosi è si vi pari

JALL (Advogado Autônomo - Comercial)

É assim que arma uma grande armadilha por quem não está satisfeito com a devassa porque tem telhado de vidro. Através de um crime cometido pelo jornalista americano, arma-se um circo de lona altamente inflamável para um ganho político. Para manter o statu quo das investigações que não chegam à conclusão nenhuma, formam-se forças tarefas, como aconteceu nos EUA para prenderem o gangster e assassino Al Capone sem o que não há capacidade instalada de um time contra o crime organizado. Bom era como estava. Esta publicação tem um viés ideológico, incompatível com o combate ao crime organizado.

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Ora, ora, a "obsessão" é de vocês, e com Moro, Deltan e a Lava Jato.

Rodam, rodam, procuram, procuram, mas não conseguem nada que caracterize conluio entre as partes, muito menos que comprometa o conjunto probatório no qual se baseou o juiz para condenar o réu. Aliás, condenações confirmadas, por unanimidade, nas instâncias superiores.

Tópico para graduação

Alexandre Casemiro (Outros)

No futuro será objeto de estudo nas faculdades de direito esse caso. Como uma ótima ideia de um governo, com fortalecimento da PF e MP tornou-se uma fábrica de destruição de reputações, destruição da economia de um país e de ativismo político para solapar um governo eleito democraticamente e colocar em seu lugar o favorito do grupo de Curitiba, Bolsonaro, tendo como bônus extra o Ministério da Justiça para o malfadado Sérgio Moro.

E.T.

olhovivo (Outros)

Queriam investigar, prospectivamente, os ministros do STF Gilmar Mendes e Toffoli, motivo: não se deixavam emparedar. Se fosse nos EUA, procuradores investigando ministros da mais alta corte ilegalmente, daria pra imaginar o destino dos bisbilhoteiros. Aqui, é vergonhoso, impossível se ufanar.

Livres, leves e soltos

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

O pior não é a relação espúria entre o Poder Judiciário Federal de Curitiba e o Ministério Público Federal. É a impunidade daqueles que a condenavam a corrupção, o crime, a desfeita e a ilicitude, que fizeram a mesma coisa que os acusados.
Os procuradores da República de Curitiba estão aí, IMPUNES, e o Doutor Sérgio Moro em viagens e mais viagens.

Magnífico (e verdadeiro) texto.

Joro (Advogado Autônomo)

Cumprimentos jornalista Márcio CHAER! Uma peça de resistência à tirania dos que se imaginam donos do Estado...

E agora Conjur?

acsgomes (Outros)

Devemos acreditar no que os procuradores falaram sobre o site Conjur? Se não, por que devemos dar crédito a outras mensagens?

Uma coisa é uma coisa

Advogado (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Sim, devemos acreditar na autenticidade das mensagens. Todas elas são autênticas, inclusive essas que expressam opiniões desabonadas do site Conjur. O que não significa que tais opiniões sejam fatos. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

O maior culpado

olhovivo (Outros)

O grande culpado do descontrole total dessa turma de "fiscais da lei" (rs.) chegarem ao ponto que chegaram é dos juízes, desembargadores e ministros que se deixam emparedar com o conchavo entre MPF e jornalistas desonestos ávidos por produzir cadáveres morais. Procurador é como advogado, cabe-lhe somente pedir. Mas, como há membros do Judiciário covardes, que se deixam emparedar, aí eles passam a se achar os reis da cocada preta. Então, vira isso que só existe em países atrasados. Se essas coisas ocorressem em países do primeiro mundo, muitos desses atores já estariam na rua, senão atrás das grades.

Sem tirar nem por

JCCM (Outros)

Sempre pensei comigo que em algum momento, alguma acusação lunática, baseada em ilações de membros do MP, seria facilmente rechaçada em juízo, acreditando em magistrado de maior grandeza, mas, temos assistido exatamente o contrário!

Assusta que magistrados se deixem enfiar em convívio de paredes geminadas em seus gabinetes, numa intimidade obscura.

Nos prédios do Poder Judiciário não cabem puxadinhos a órgãos de uma Instituição qualquer.

E se assim o for, que tal termos também, conjuntamente, gabinetes de defensores públicos, procuradores de Estado, delegados de polícia e advogados representantes da OAB ?

Comentar

Comentários encerrados em 10/02/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.