Consultor Jurídico

Ato falho

Pré-candidato, Moro diz que "lava jato" combateu o PT e depois corrige declaração

O ex-juiz Sérgio Moro, atualmente pleiteando uma candidatura à presidência nas eleições de 2022 pelo Podemos, cometeu ato falho nesta quarta-feira (29/12), em entrevista à rádio Capital FM, de Mato Grosso.

Segundo ele, a autodenominada operação "lava jato" combateu o PT de forma "efetiva e eficaz". Considerado suspeito e parcial pelo Supremo Tribunal Federal, Moro sempre negou que tivesse agido contra partidos políticos. Depois, emendou uma explicação.

Pré candidato, Moro comete ato falho. Divulgação

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a declaração foi feita quando o ex-juiz tratava de apoio de parlamentares de seu atual partido ao governo do presidente Jair Bolsonaro. "Como é que a gente pode defender um governo desse? Com pessoas [com fome] da fila de ossos, um governo que foi negligente com as vacinas, um governo que ofende as pessoas, um governo que desmantelou o combate a corrupção."

E foi adiante: "Tudo isso por medo do quê? Do PT? Não. Tem gente que combateu o PT na história de uma maneira muito mais efetiva, muito mais eficaz. A 'lava jato'", disse Moro na entrevista.

Logo em seguida, porém, o ex-ministro de Bolsonaro recuou e disse que a "lava jato" apenas descobriu "os esquemas de corrupção e mostrou o que o PT verdadeiramente é".

"Agora vai apoiar o presidente atual pra quê? Por quê? Qual que é o motivo? Se é uma questão meramente política? O objetivo é ganhar eleições? Eu acho que tem que ser para servir e proteger a população brasileira, e o nosso projeto vai nessa linha", completou.

Atualmente, Moro nem sequer aparece com dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto para a presidência da República. O último levantamento feito pelo IPEC, sucessor do Ibope, e divulgado no último dia 14, mostra o ex-juiz com 6% das preferências do eleitorado, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (48%%) e do atual mandatário, que tem 21%.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 29 de dezembro de 2021, 17h03

Comentários de leitores

5 comentários

Bom, a conta não está fechando!

Bacharel em Direito e pós graduado (Assessor Técnico)

O "conje" "MOURO" diz que a laja-jato combateu o PT. Bom, se assim o é (ou foi), vejamos: a) Os bolsonaristas atentem que, por 28 anos Bolsonaro foi um dos 513 deputados que, dentre as obrigações parlamentares, tinha o dever de fiscalizar, legislar, representar, mas Bolsonaro nunca acionou qualquer instituição ou Órgão de Controle (interno e externo) a exemplo do TCU, MP, Judiciário, Procuradoria da República; ADI, ADPF, dentre outros, para expor as roubalheiras do PT e corja. Explica-se a atitude omissa do "home" "onesto" e "çanto" que foi feito Presidente fugindo de debates? Dizendo que iria acabar com a mamata (dos outros)? Que, em seu governo não teria o toma-lá-dá-cá? Que, o centrão era um bando de ladrão? Que, seria a nova política? Não é mamata ter na administração pública 6.925 militares? Cujos deveriam estar nas fronteiras e guarnecendo a sociedade? não têm civis, mesmo dentre os que o apoiam para a administração pública? E o Kg de picanha por R$ 1.799,99? E, os 15 milhões com o cartão corporativo? Chicletes, leite condensado etc? Êpa, o PT é ladrão, tá? O "MOURO" ao receber do Bolsonaro uma rica promessa (eles, entre eles, sabem qual!) deixou 22 anos de magistratura federal (quem faz aqui, aqui paga), mas os fanáticos bolsonaristas chamam o "MOURO" de traidor. Êpa, nessa história o traidor é Bolsonaro, não o "MOURO", concordam? Concorde, viu? Então "MOURO" dizer que a lava-jato combateu o PT, não faz a conta fechar.
Tenham todos um feliz 2022.

Conge

carlos.msj (Advogado Autônomo)

Ele fez parte desse "combate", orientando, manipulando provas. Só que juiz não combate, ele julga, julga de forma imparcial e imotivada.

Morno o conspirador

Glaucio Manoel de Lima Barbosa (Advogado Assalariado - Empresarial)

Esse MORNO que cospe no prato que comeu precisa esclarecer a sociedade porque prendeu o ladrão de nove dedos e mostrar as provas. Os delatores devolveram o dinheiro e ai?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 06/01/2022.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.