Consultor Jurídico

violação de direitos indígenas

PF intima Sônia Guajajara por críticas ao governo em websérie

A líder indígena Sonia Guajajara, da ApibReprodução/Facebook

A pedido da Fundação Nacional do Índio (Funai), a Polícia Federal intimou a líder indígena Sonia Guajajara, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), acusada de difamar o governo federal na websérie Maracá. As informações são da coluna de Guilherme Amado na revista Época.

A série da Apib foi lançada no último ano e denunciou violações de direitos humanos promovidas pelo governo contra indígenas em meio à crise de Covid-19. As denúncias também foram feitas ao Supremo Tribunal Federal.

"Não irão prender nossos corpos e jamais calarão nossas vozes. Seguiremos lutando pela defesa dos direitos fundamentais dos povos indígenas e pela vida', afirmou a Apib à coluna da revista.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 30 de abril de 2021, 17h33

Comentários de leitores

1 comentário

Renúncia

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

"Dados pessoais
Nome completo Sônia Bone de Souza Silva Santos
Nascimento 6 de março de 1974 (47 anos)[1]
Terra Indígena Arariboia, MA
Alma mater Universidade Estadual do Maranhão
Partido PT (2000-2011)
PSOL (2011-presente)
Profissão professora, enfermeira
Sônia Bone de Souza Silva Santos, nome civil de Sônia Bone Guajajara OMC (Terra Indígena Arariboia, Maranhão, 6 de março de 1974), é uma líder indígena brasileira. É formada em Letras e em Enfermagem, especialista em Educação especial pela Universidade Estadual do Maranhão. Recebeu em 2015 a Ordem do Mérito Cultural" (Fonte Wikipédia).

Agora, tem até índia desprezando o governo do Senhor Jair Messias Bolsonaro, que deveria, diante das "atrapalhadas", renunciar.

Comentários encerrados em 08/05/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.