Consultor Jurídico

Liberalismo à Brasileira

Sheherazade move processo de R$ 20 milhões e acusa SBT de assédio moral

A jornalista e apresentadora Rachel Sheherazade está pedindo R$ 20 milhões, judicialmente, ao SBT, onde trabalhou por nove anos. Na ação, ela alega que a sua contratação como pessoa jurídica visava fraudar a legislação trabalhista, fiscal e previdenciária pelo não pagamento dos direitos decorrentes do registro em carteira de trabalho.

Jornalista sustenta a que sua contratação como PJ visava fraudar legislação trabalhista
Reprodução

O processo tramita no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (3ª Vara do Trabalho de Osasco, na região metropolitana de São Paulo). A ação também inclui pedido de indenização por assédio e danos morais.

A jornalista acusa a emissora de censura e anexou ao processo uma troca de e-mails em que um diretor do SBT afirma que os comentários postados por ela nas redes sociais envergonham a ele e muitos de seus colegas de trabalho.

Outro caso de assédio citado no processo aconteceu durante a entrega do Troféu Imprensa 2017. Na ocasião, a apresentadora alega que foi tratada de modo "depreciativo, preconceituoso, vexatório, humilhante e constrangedor" pelo dono do SBT, Silvio Santos.

Na cerimônia, o empresário afirmou que a jornalista havia sido contratada para "continuar com sua beleza, com a sua voz, para ler as notícias no teleprompter. Não foi para você dar a sua opinião". Silvio ainda disse que se ela quisesse fazer política deveria comprar sua própria emissora de televisão.

O SBT ainda não divulgou nenhum comunicado sobre o processo movido pela jornalista.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 28 de abril de 2021, 18h52

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 06/05/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.