Consultor Jurídico

Academia

Da Redação

Carteira da Ordem

Exame de ordem da OAB ainda segue sem definição sobre aplicação

Ainda não há definição sobre a aplicação do 32º Exame de Ordem da OAB. Em meio à indefinição, Alberto Simonetti, coordenador nacional da prova, afirma que novas inscrições devem ser reabertas assim que possível. De acordo com ele, a entidade também está atenta a aprimoramentos.

Reprodução

Em live no Instagram com o professor Marco Antônio Araújo, coordenador pedagógico do Meu Curso — que promove cursos para o exame — Simonetti afirmou que a prova será aplicada neste ano, independentemente da modalidade.

Segundo ele, existe a possibilidade de exame online, mas sua aplicação é discutida com cuidado pela entidade. "A OAB busca parceiros para isso, mas será um projeto levado ao Conselho Federal para avaliar, sobretudo, as questões de segurança para que não haja fraude. Existe um caminho legal a ser percorrido antes disso", explica.

O conteúdo programático do edital não será alterado, mas está em estudo a possibilidade de alteração de disciplina escolhida para a segunda fase  no edital de retomada. Também podem ocorrer mudanças do local de prova informado na inscrição, já que a entidade vem recebendo muitos pedidos nesse sentido.

Enquanto a definição não chega, Araújo destaca a importância de manter o foco nos estudos para o exame. Segundo ele, é necessário definir prioridades, reservar horário e local adequados para estudos, manter um cronograma e recorrer à tecnologia para organizar e complementar o conteúdo.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 21 de abril de 2021, 16h01

Comentários de leitores

4 comentários

Pelo fim urgente do trabalho análogo a de escravos, OAB

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor, jurista e abolicionista contemporâneo. Assim como Martin Luther King" ganhador do Prêmio Nobel, I HAVE A DREAM (EU TENHO UM SONHO). O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigualdade, de descaso. (Darcy Ribeiro). Senhores membros da Organização Internacional do Trabalho – OIT, Organização dos Estados Americanos – OEA, Tribunal Penal Internacional – TPI e Organização das Nações Unidas – ONU, foge da razoabilidade o cidadão acreditar nos governos omissos, covardes e corruptos, numa faculdade autorizada e reconhecida pelo Estado (MEC), com aval da OAB e depois de passar cinco longos anos, fazendo malabarismo, pagando altas mensalidades investindo tempo e dinheiro e depois de formado, atolado com dívidas do Fies, cheques especiais, negativado no Serasa/SPC, com o diplomas nas mãos, outorgado e chancelado pelo Estado (MEC), com o Brasão da República, ser jogado ao banimento, impedido do livre exercício da advocacia cujo título universitário habilita por um sindicato que só tem olhos para os bolsos dos seus cativos e/ou escravos contemporâneos. Onde está (ir) responsabilidade social desse governo e da própria OAB?
A Carta Magna Brasileira foi bastante clara ao determinar em seu art. 170 que a ordem econômica está fundada no trabalho humano e na livre iniciativa e tem por finalidade assegurar a todos uma existência digna, conforme os ditames da justiça social, observando, entre outros, o princípio da busca pelo pleno emprego. Ao declinar sobre a Ordem Social, (art. 193) a Constituição estabeleceu que a ordem social tem como base o primado do trabalho e como objetivo o bem-estar e a justiça sociais.

Responder

É só estudar

guilherme costa 2604 (Advogado Autônomo - Civil)

É só pedir isençao, estudar e passar.

Cursos de direito são os mais liberados pelo MEC e sem critério algum. Isso leva ao sucateamento geral.

Ainda bem q tem o exame da ordem. Seria pior.

Boa sorte no exame!

É brasil p/ser adv prova-caça-níquei$. P/ser desemb.Listas?

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos escritor jurista e abolicionista contemporâneo. Isso é Brasil p/ser advogado, OAB usurpa vergonhosamente papel do Estado MEC p/ impor sua máquina de triturar sonhos e diplomas gerando fome desemprego depressão síndrome do pânico doenças psicossociais e outras comorbidades diagnósticas uma chaga social que envergonha o país dos desempregados e dos aproveitadores que lucram com o trabalho análogo à de escravos a escravidão moderna da OAB. Agora para ocupar vagas nos Tribunais Superiores, OAB utiliza de LISTAS APADRINHADOS?
Então o cidadão é lesado na correção das provas bate na porta da justiça e recebe um tapa na cara?
No último exame caça-níqueis OAB/ FGV foram flagradas PLAGIANDO vergonhosamente questões de outra Banca examinadora para FERRAR ainda mais seus CATIVOS e aumentar o lucro da OAB. Criam-se dificuldades para colher facilidade$. Depois desse vergonhoso plágio essa EXCRESCÊNCIA perdeu de vez a credibilidade e tem que ser sepultada URGENTE. Até porque avaliação do ensino é papel do Estado MEC e não de sindicatos. Leia-se 209 da CF.
É LIVRE O EXERCÍCIO PROFISSIONAL DE QUALQUER TRABALHO. ART. 5-XIII CF. "O Brasil último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança que torna a nossa classe dominante enferma de desigualdades de descaso." Darcy Ribeiro
Mas quem lucra com a escravidão moderna da OAB não tem nenhum interesse em abolir esse câncer. Até agora OAB já abocanhou extorquindo com altas taxas de inscrições e reprovações em massa mais de UM BILHÃO DE REAIS sem nenhuma transparência sem nenhum retorno social sem prestar contas ao Egrégio TCU. É ainda dizem que isso é sui-generis? Quem firma em Medicina é médico (Lei n.13.270/16 determinou as univ. DIPLOMA DE MEDICO.

Responder

Indignação!

Dirceu Jordão (Estudante de Direito)

Essa é a palavra! Como uma Instituição com a grandeza da OAB não consegue realizar um exame on line? Seria incompetência ou simplesmente que seus dirigentes não estão a altura de seus cargos? Dúvidas cruéis!

Responder

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/04/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.