Consultor Jurídico

Comentários de leitores

8 comentários

Eu, Robô

outkool (Engenheiro)

Prof. Lênio, é inevitável, robôs (não os algorítmos, como diz o senhor) substituirão os humanos em quase tudo, é uma questão de tempo. Também em suas funções judicantes. E suspeito que, eventualmente nessas funções, robôs não produzirão mais erros do que os próprios humanos.

Albatroz 2 Que ave!

Ulysses (Professor Universitário)

Platão tinha razão: as palavras representam a essência. O tal Roberto Albatroz é um exemplo. Albatroz tem cérebro pequeno e bico grande. Uma ave com dificuldades sérias de raciocínio!!!! Kkkk

Cordão

Roberto Albatroz (Advogado Autônomo - Criminal)

O cordão segue sendo “puxado”..
Mais algum “professor”?

Albatroz

Armando do Prado (Professor)

Ave que se notabiliza por grande envergadura e pouca inteligência e por ser fiscal de traseiro alheio.

"É como penso. É como voto."

Canglingon (Outros)

Na terceira temporada da maravilhosa série israelense Shtisel, há um diálogo virtuoso entre as personagens Hanina e Ruchami, judeus ultra-ortodoxos. A segunda é portadora de síndrome rara que eleva exponencialmente o risco de morte durante a gestação. O casal passa a cogitar a possibilidade de reprodução assistida via fertilização com útero de substituição.

Hanina, um aplicado estudante de yeshivá, afirma: "Estou há uma semana tentando me convencer de que é permitido violar a Halacá e a Torá. O mais importante para nós”. Ruchami pergunta: "Onde está a violação? O Rabino Soloveichik autorizou”. “Não foi bem assim. Decidi pela minha consciência”, replica Hanina.

Um jovem estudante noutra realidade, noutro contexto histórico-cultural, sob a égide de mandamentos religiosos rigorosos, conseguiu perceber a importância de uma tradição consolidada de significância, do poder das palavras e da consequente e inexorável responsabilidade de seu dizer, da honestidade intelectual no processo interpretativo.

“Bingo” é pouco. Precisamos falar (mais) sobre Hermenêutica. Urgente. E precisamos falar sobre quais questões são verdadeiramente permeáveis a juízos de concordância/discordância e quais questões verdadeiramente representam fatos (refratários a simples convergências/divergências). Emburrecemos? Apenas a título de curiosidade, parece que sim: https://dasculturas.com/2020/12/20/o-qi-medio-da-populacao-mundial-diminuiu-nos-ultimos-vinte-anos-christophe-clave/

brilhante

John Paul Stevens (Advogado Autônomo)

Mais um texto brilhante e tristemente necessário.

Não cansa?

Roberto Albatroz (Advogado Autônomo - Criminal)

Cara, não cansa bajular?

Não cansa?

Roberto Albatroz (Advogado Autônomo - Criminal)

Cara, não cansa bajular?

Comentar

Comentários encerrados em 16/04/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.