Consultor Jurídico

"Geopolítica da intervenção"

Cientista político Fernando Fernandes lança a versão dele sobre a "lava jato"

Quais as reais motivações daquela que se proclamou a maior operação de combate à corrupção do Brasil? Em "Geopolítica da Intervenção — a verdadeira história da Lava Jato", publicado pela Geração Editorial, o advogado e cientista político Fernando Augusto Fernandes afasta as especulações e revela os bastidores sob a ótica de quem viveu alguns dos episódios decisivos da investigação.

Divulgação

Como advogado defensor do presidente do Instituto Lula, Fernando Fernandes foi redator e signatário do Habeas Corpus pelo qual obteve a decisão de soltar Lula em 2018, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. Foi também ele o autor da reclamação Supremo Tribunal Federal, que permitiu a toda a imprensa entrevistar o ex-presidente.

Princípios como liberdade e justiça nortearam este trabalho de pesquisa, fundamentado pelo registro de documentos, links de vídeos na internet, matérias jornalísticas, processos, somados aos relatos do autor, testemunha ocular dos acontecimentos.

O título da obra, Geopolítica da Intervenção, decorre, segundo o autor, da forte influência norte-americana desde o período pós-Segunda Guerra. Reside, aí, a questão central abordada por Fernando Fernandes: os interesses ocultos dos Estados Unidos no consórcio de Curitiba.

"A forma autoritária e em desrespeito às decisões do Supremo
Tribunal Federal não eram novas para Sergio Moro. O juiz havia
determinado a monitoração do advogado e professor Cezar Roberto
Bitencourt para a sua defesa. Fez uma trajetória não só de cooperação
internacional com autoridades estrangeiras, mas também
de atitudes heterodoxas no Direito, a exemplo da perseguição a
advogados", escreve na página 88.

Geopolítica da Intervenção: A verdadeira história da "lava jato"
Autor: Fernando Augusto Fernandes
Editora: Geração Editorial
Gênero: ciência política
Páginas: 448
ISBN:978-65-5647-007-8
Preço: R$ 66 e R$ 44 (E-book)




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 24 de setembro de 2020, 20h36

Comentários de leitores

2 comentários

Não bate

joaovitormatiola (Serventuário)

Se essa conspiração existe, por que o Moro rompeu com o Bolsonaro, que faz tudo para beneficiar os americanos?

Quem com ferro fere...

olhovivo (Outros)

Ironicamente, as ilegalidades da galera de Curitiba - consórcio de juiz com uma das partes, entre outras - foram reveladas também por um meio ilegal, no caso o rackeamento das conversas e tramas urdidas inclusive contra membros do STF. O antes era "vamos lucrar", agora vem o prejuízo... moral principalmente.

Comentários encerrados em 02/10/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.