Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Nada Realmente dá Certo

PH Sabino (Bacharel - Criminal)

Realmente nada no Brasil dá certo, estava comentando um dia desses sobre motoristas de aplicativo, no mundo inteiro deu certo, mas no Brasil há uma grande incidência de crimes praticados por motoristas desse serviço pelo fato de que aqui tudo que se faz é com o intuito de se locupletar, levar vantagem, enganar... Nos dia dos pais minha esposa deixou uma mochila no "99" e 1 hora depois tentaram usar o cartão de crédito dela numa compra e, afirmo com 100% de certeza que foi o motorista... Detalhe, pela corrida foi dado ao motorista R$ 7 de gorgeta... Lamentável esse país onde os nossos próprios governantes servem como exemplo de mau caratismo...

Uma amiga

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

Uma amiga, conduzida por determinado motorista da UBER reclamou dele, diante da excessiva velocidade imprimindo o veículo, pois no trajeto, em três vezes, quase que ela não vive para contar a história.
Ele, simplesmente, disse que sempre dirigiu daquela forma e não iria mudar.

Não deu certo

carlos.msj (Advogado Autônomo - Tributária)

O Brasil é um país que não deu certo. Devolvam aos índios. Só assim pode ser que dê!

O problema é...O povo e seus dirigentes

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

O Brasil é o país do "Homem Cordial".
"Poucos conceitos se prestam a tamanha confusão quanto o de “homem cordial”, central no livro Raízes do Brasil, do historiador Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982). Logo após a publicação da obra em 1936, o escritor Cassiano Ricardo implicou com a expressão. Para ele, a ideia de cordialidade, como característica marcante do brasileiro, estaria mal aplicada, pois o termo adquirira, pela dinâmica da linguagem, o sentido de polidez – justamente o contrário do que queria dizer o autor.
A polêmica sobre a semântica teria ficado perdida no passado não fosse o fato de que, até hoje, muitas pessoas, ao citar inadvertidamente a obra, emprestam à noção de Buarque de Holanda uma conotação positiva que, desde a origem, lhe é estranha. Em resposta a Cassiano, o autor explicou ter usado a palavra em seu verdadeiro sentido, inclusive etimológico, que remete a coração. Opunha, assim, emoção a razão.
(...)
A expressão “homem cordial”, a propósito, fora cunhada anos antes, por Rui Ribeiro Couto, que julgou ser esse tributo uma contribuição latina à humanidade.
O problema surge quando a cordialidade se manifesta na esfera pública. Isso porque o tipo cordial – uma herança portuguesa reforçada por traços das culturas negra e indígena – é individualista, avesso à hierarquia, arredio à disciplina, desobediente a regras sociais e afeito ao paternalismo e ao compadrio, ou seja, não se trata de um perfil adequado para a vida civilizada numa sociedade democrática(http://www2.uol.com.br/historiaviva/reportagens/o_jeitinho_do_homem_cordial.html).
Seguindo o brilhante sociólogo Jessé Souza, é o brasileiro primitivo, emotivo e personalista. E acrescento: essencialmente corrupto.
O próprio ISOLAMENTO SOCIAL é a prova eloquente de nosso caráter

Brasil o país do futuro

Gisleine G Rozzi (Advogado Autônomo - Civil)

Desde da infância escuto dizer que o Brasil é o país do futuro, só que esse futuro vem sendo nos roubado por aqueles que são eleitos pelo povo, porque nossa política é feita de toma lá dá cá, não importa se o político é o juiz ou o palhaço, não consegue governar sem apoio dos demais, que na verdade é o toma lá dá cá, mas nós brasileiros não perdemos a esperança, de que um dia as coisas mudam e o voto é a nossa arma, “ Mil cairão ao seu lado, dez mil a sua direta, mas tu não serás atingido.” Salmo 91, esse é a Brasil.

Brilhante

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

Brilhante, Doutora Luiza Nagib Eluf!

Comentar

Comentários encerrados em 1/10/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.