Consultor Jurídico

Usurpação de competência

Bote de Bretas contra desembargadores gera repúdio no meio jurídico

Retornar ao texto

Comentários de leitores

12 comentários

A seção de comentários da CONJUR virou reunião de néscios

João B. (Advogado Autônomo)

Majoritariamente composta por pseudo juristas, formados nas uniesquinas da vida ou formados há mais de 30 anos sem nunca se atualizarem. Enfim, só a escória.

Matéria tendenciosa

Judge Garcia (Outro)

Ao que parece, pretendem conferir à advocacia uma prerrogativa que os advogados não possuem.

Não há nenhum problema em apurar crimes que, em tese, teriam sido praticados por advogados no exercício da advocacia.

Criminalizar a advocacia é expressão totalmente incompatível com tentativa de investigar fatos concretos, delimitados, tipificados como delitos, e seus apontados autores.

Incrível que a edição tenha permitido a publicação de artigo tão tedencioso. A questão relativa ao foro por prerrogativa dos desembargadores somente foi abordada para velar a verdadeira intenção do texto: a de denigrir a imagem do juiz que, no exercício de sua função, busca impedir a impunidade de crimes de colarinho branco.

Ataque contra a advocacia??

Analista de inteligência (Outros)

Público e notório a ação dos "gravatas" junto as ORCRIMs. O mesmo atuando junto a lavadores de dinheiro. O site demonstra sua clara ação corporativa inviezando um tema tão relevante para o país.

Bote de Bretas ...

Arlete Pacheco (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Matéria tendenciosa! Falar em "bote" lembra ataque de cobra, de criatura venenosa, que pode matar!!! Falar em repúdio do "meio jurídico" também é falacioso, é exagerado. Enfim, Conjur resolveu integrar o grupo do jornalismo demagogo, histriônico, que menospreza a inteligência do cidadão contribuinte.

Imunidade estendida

Angelo Mattos (Advogado Autônomo - Civil)

Nova maneira de se adquirir imunidade no Brasil. Amasiar, casar, viver em União estável, ter um contatinho, qualquer coisa do gênero com o membro do poder judiciário.....

Fins e Meios

lcbp (Funcionário público)

Entendo que os fins não devem justificar os meios. A nova "celebridade" deveria saber muito bem sobre as limitações que lhes são impostas pela lei. O problema é a tal da mídia que é encantadora.

EDD? Cumprir lei?

Marcelo Eduardo Sauaf (Funcionário público)

Interessante sempre o 2 pesos 2 medidas usual. "Sacrifícios" para o Estado Democrático de Direito e obrigação de cumprir leis, mas isso ser DESPREZADO pelo judiario e MPs sobre a Lei 13979/20 do corona, cerceando ir e vir e endossando tiranias sem base científica e violações de "assembléias", "câmaras" e decretos à reserva constitucional de medidas de saúde às direções do Sus... aí "pode"...

Assino embaixo

Rejane G. Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Concordo plenamente com o inteiro teor do comentário de Marcelo Eduardo Saaf.

Justiça ou injustiça?

Rafael Gatinho (Corretor de Imóveis)

Pode ser que sim, pode ser que não. Tudo no mundo jurídico é relativo. A autoridade pública, diante de práticas ilícitas, deverá agir de imediato para sanar possíveis irregularidades. Eu, como cidadão, acho que o juiz agiu dentro da lei sobre esse aspecto. Aumentando a celeridade no judiciário. Se uma instância superior viu uma ilegalidade no juiz, também, viu ilegalidade em membros superiores, correto? O que importa é o seguinte: Há motivos que levaram a operação? O que os órgãos superiores fizeram ? Quando um órgão superior deixa de fazer algo, que tem o dever legal, o que ocorre?

Bretas Justo

Paulo Cesar Cardoso (Administrador)

Quem não DEVE não TEME. Quem TEME, covardemente se esconde em foro privilegiado. Corporativismo? Coleguismo? Temor grupal?

Nova redação do CPP

Marcel Diniz (Advogado Sócio de Escritório)

Interessante notar que foi dada nova redação ao artigo 240 do CPP. De fato, a partir de agora, o mandado de busca e apreensão somente poderá ser cumprido pela Autoridade de primeiro grau, desde que o alvo do mandado não seja casado (a), amasiado (a), enrolado (a), ou sei lá o quê, com Autoridade que possua prerrogativa de foro.
Realmente, uma belezura!

Concordo com o combate a corrupção

Tiago Marques Macêdo (Técnico de Informática)

Eu concordo com o combate à corrupção, mas não confio no empenho desinteressado de Bretas nessa questão, pois ele recebeu recentemente censura por participar de evento político partidário ao lado de políticos bem envolvidos em corrupção. Devemos defender as ideias, e não personalismos.

Comentar

Comentários encerrados em 29/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.