Consultor Jurídico

REsp 1.644.077

Corte Especial do STJ inicia julgamento sobre honorários de advogados privados

Retornar ao texto

Comentários de leitores

9 comentários

Valorização do advogado

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

A valorização do advogado não pode se limitar ao aspecto econômico, mas "é t i c o".
Os profissionais de leis não podem substituir a ética pelo $$$$ e pela Retórica.
O ex-desembargador do TJSP e ex-secretário da Educação do Estado de SP, José Renato Nalini, diz, em livro primoroso, Filosofia e Ética Jurídica, aponta a existência na ética do advogado do princípio do desinteresse. Diz o jurista, citando Ruy Sodré: "Manda a ética que se estimem os honorários profissionais com moderação, tendo-se em vista que a advocacia é ramo da administração pública e não comércio para fazer dinheiro" (p.255).
O advogado deve ser o "Deus para o cliente". Lutar pelos interesses do outorgante. Mimá-lo. Amá-lo profissionalmente.
Primeiro, a Justiça. Depois, o cliente, inclusive realizar a advocacia "pro bono". Se for o caso de um cliente miserável, renunciar aos honorários.
Porque o bem maior é a luta do advogado pela Justiça.

Redução dos vencimentos magistrados

Marcio Gonçalves de Paula (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Os senhores ministros deveriam também se preocupar em utilizar esse mesmo critério p/ fixar e receber seus poupudos vencimentos mensais.

Redução dos vencimentos magistrados

Marcio Gonçalves de Paula (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Os senhores ministros deveriam também se preocupar em utilizar esse mesmo critério p/ fixar e receber seus poupudos vencimentos mensais.

Ação Declaratória de Constitucionalidade

Felipe Costa - Advogado Ceará (Advogado Autônomo - Trabalhista)

À OAB restará o caminho da ADC, a fim de fazer valer a literal normatividade do dispositivo processual violado.

A lei é clara, equidade só em causas de baixo valor

João Afonso Corrêa Advogado (Advogado Autônomo)

Sua não aplicação depende de declaração de inconstitucionalidade. Simples assim.

Stj? Stj....

Carmen Patrícia C. Nogueira (Advogado Autônomo)

STJ?STJ...
Para bom entendedor...

REsp 1.644.077 / PR

Rolando Caio Brasil (Estudante de Direito)

Há equivoco na matéria em relação indicação do numero do recurso. O correto: REsp 1.644.077-PR link: https://ww2.stj.jus.br/processo/pesquisa/?tipoPesquisa=tipoPesquisaNumeroRegistro&termo=201603258045&totalRegistrosPorPagina=40&aplicacao=processos.ea
e não REsp 1.655.077

A Doce Vida dos Advogados Privados em Terra Imaginária

Immanuel Kant (Advogado Sócio de Escritório)

Advogados Privados, em Jerimum Terrae (terra imaginária), só se lascam. Fixar honorários por equidade é possibilitar que se estabeleça qualquer valor a título de honorários, ou seja, não haver qualquer critério (a bel prazer do julgador). Em Banânia (o outro nome de Jerimum Terrae), não se liga para os advogados privados, e faz-se o que quer com eles, inclusive aviltar os seus sustentos. Honorários deixou de significar honra.

Compartilho do mesmo entendimento.

Rolando Caio Brasil (Estudante de Direito)

Depois de tanta luta da advocacia privada por essa questão da sucumbência, essa do STJ em querer ressuscitar o entendimento da jurisprudência anterior ao regramento do CPC de 2015, é absurdo. De fato, a advocacia privada tá lascada

Comentar

Comentários encerrados em 25/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.