Consultor Jurídico

Comentários de leitores

9 comentários

Moto contínuo

Blue (Advogado Assalariado)

Excelente texto Dras. 'Escureceu' com argumentos constatando o racismo que permeia as relações jurídicas

Discordo

Afonso de Souza (Outros)

Um amontoado de sofismas, isso sim.

O conflito de éticas

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

As leis são feitas por gente de pele branca.
Os Tribunais são compostos, em sua grande maioria, por brancos, que arbitram pendengas que atingem negros e mestiços, que são obrigados a suportar leis que lhes são inadequadas.
A maioria dos negros e mestiços são pobres e são vítimas do Estado, que é branco, e de outros brancos. Existem brigas entre eles, mas não em grande proporção.
Atualmente, temos no Governo Federal um "oriundi", ou seja um descendente de italiano que, como parlamentar revelou a sua faceta misógina, racista, violenta, e discriminatória. O seu assessor direto, é o Senhor Paulo Guedes, membro da elite e branco.
Ora, não precisa ser muito inteligente para perceber que, o "oriundi" e seu assessor" não farão um Governo voltado aos "peles escuras". E, mais uma vez, terão os subordinados que aceitar a redução de sua sobrevivência, vivendo com parcos recursos, porque não são beneficiários da política estatal. Mais uma vez, são os brancos, com exclusão daqueles pobres que, na Terra do Pau Brasil, são minoria. A maioria indigente é de negros e pardos.
A ética da corrupção é praticada pelos brancos. A ética dos negros e pardos é a da sobrevivência.
Quando os negros e pardos descumprem a lei, é porque não possuem condições econômicas e sociais de cumpri-la. A lei não tem interferência sobre as respectivas vidas e não pode moldar comportamentos.

Hein?

Afonso de Souza (Outros)

Você praticou racismo. Atribuiu à "raça" branca defeitos intrínsecos e à "raça" negra uma pureza intrínseca. Como se as pessoas tivessem seu caráter definido "racialmente"...

Entre outros maniqueísmos...

Quanta bobagem!

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Pois investigações posteriores mostraram que o fator "raça" não teve impacto no episódio acontecido no dia 10 de setembro de 2018.
Menos, por favor.

O que disseram as testemunhas presenciais

Jorge Moura (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

As conclusões das investigações pelo TJRJ trazem o que disseram as testemunhas que presenciaram os fatos: http://www.tjrj.jus.br/noticias/noticia/-/visualizar-conteudo/5111210/5868875

Equidade econômico-social ninguém fala

MACACO & PAPAGAIO (Outros)

Para quem é ético e justo de verdade, a cor, o sexo, o gênero, etnia, nacionalidade e a profissão não medem o caráter, nem o valor, o respeito ou a dignidade de ninguém.
Juristocratas, de todas as espécies, deviam era lutar pela igualdade social e a distribuição de renda nesse país, mas sempre estão dispostos a cultivar os conflitos, onde se extraem as causas e os lucros, enquanto uma sociedade patológica e ensandecida discute questões secundárias de supremacismos ou inferioridades raciais em pleno século XXI, como se isto existisse.

Parabéns

Diogojhony1 (Estudante de Direito - Criminal)

Dra Juliana Souza e Dra Camila Torres, parabéns por irem direto ao ponto.
O texto traz uma ótima reflexão sobre a seletividade penal do nosso país.
Muito gratificante tê-las como representantes do povo negro neste espaço.

Ps:Dra Juliana, contundente como sempre !!

Marcelo Santos (advogado autônomo)

Marcelo Vapuca (Estudante de Direito - Civil)

Parabéns pelo texto , que ele jogue uma luz sobre esse debate . O preconceito racial deveria ser motivo de preocupação de "toda" a sociedade e não apenas das pessoas atingidas .

Comentar

Comentários encerrados em 24/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.