Consultor Jurídico

Pãozinho leve

Imunidade tributária de centro religioso é estendida a fontes alternativas de renda

A imunidade tributária do Centro Espírita Allan Kardec (CEAK) alcança também a renda obtida em atividades impróprias, como as receitas obtidas com a atividade de padaria. O entendimento é da 2ª Vara Federal de Campinas, que afastou a cobrança de Cofins sobre a renda obtida pelo centro espírita com a Panificação Bambini, ligada a ela.

Juiz decidiu isentar centro religioso de renda obtida por padaria beneficente
123RF

Segundo a sentença, ainda que seja uma atividade imprópria, o valor é integralmente revertido para fins sociais, o que justifica a imunidade. A decisão levou em consideração também que a associação possui o Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas).

Para o juiz, a imunidade prevista na Constituição Federal para entidades beneficentes de assistência social (artigo 195, parágrafo 7º) tem como objetivo proteger o patrimônio afetado a beneficência, inclusive para fomentá-la. "Por essa razão, a classificação das receitas auferidas pelas entidades beneficentes de assistência social em próprias ou impróprias, para o fim de que estas últimas sejam tributadas, ainda que revertidas aos fins institucionais da entidade, caracteriza violação ao dispostos no texto constitucional", concluiu o magistrado, classificando com inconstitucional a Instrução Normativa 247/2002 da Receita Federal.

Para a Receita Federal, a imunidade tributária alcançaria somente as receitas relativas às atividades próprias das entidades beneficentes de assistência social, ou seja, receitas decorrentes das contribuições, doações, anuidades ou mensalidades recebidas dos associados. No caso, a Receita entendeu que a venda de pães era uma atividade imprópria e, por isso, deveria ser tributada.

O Centro Espírita Allan Kardec foi representado na ação pelos advogados Nicholas Coppi e Felipe Granito, do GCBA Advogados Associados.

Clique aqui para ler a decisão
5013257-73.2018.4.03.6105

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 12 de setembro de 2020, 9h44

Comentários de leitores

1 comentário

Igreja do Pão Santo

joaovitormatiola (Serventuário)

Todo dono de padaria devia transformar a padaria num dois em um; a pessoa entra, compra pão, come bolinho de carne, é iluminada com a luz eterna, e ninguém paga imposto.

Comentários encerrados em 20/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.