Consultor Jurídico

Academia

Da Redação

Atuação ampliada

Com aulas ao vivo, IDP lança plataforma de cursos online

O Instituto de Direito Público ampliou sua atuação para o ensino a distância, com o lançamento da plataforma IDP Online. A universidade tem pelo menos 20 anos de funcionamento, com tradição no ensino presencial nas unidades de Brasília e São Paulo.

DivulgaçãoSede do IDP em Brasília

O IDP foi a instituição privada do Distrito Federal que mais aprovou no Exame de Ordem nas três últimas edições da prova, conforme mostra a publicação Exame de Ordem em Números.

De acordo com Raphael Carvalho, coordenador de pós-graduação do IDP, um dos diferenciais do curso online é que as aulas são ao vivo. "Isso garante que o aluno terá sempre um conteúdo atualizado e a interação em tempo real entre alunos e professores. Além disso, vamos manter a qualidade do corpo docente dos cursos presenciais", explica.

Segundo o professor, a universidade usará tecnologias para replicar no espaço virtual "os diferenciais de um ambiente acadêmico de excelência, como a proximidade entre professor e aluno, a interação em tempo real e  o desenvolvimento da pesquisa de ponta". 

No site do IDP Online estão abertas as matrículas para os cursos de pós-graduação lato sensu em Direito Constitucional, Direito Penal e Processual Penal, Direito Eleitoral, Direito Tributário, Direito Administrativo e Direito Processual Civil. O início das aulas está previsto para 25 de setembro. 

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 10 de setembro de 2020, 13h04

Comentários de leitores

1 comentário

Parem de enaltecer o fraudulento, caça-níquei$ exame da OAB

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos escritor jurista e abolicionista contemporâneo. Art. 209 da Constituição diz que compete ao poder público avaliar o ensino.OAB ,muda de cor de acordo a conveniência para não abir sua caixa preta junto ao Eg.TCU. Depois que no último EXAME, OAB/FGV serem flagradas PLAGIANDO QUESTÕES DE OUTRA BANCA examinadora para FERRAR ainda mais seus CATIVOS e aumentar o lucro da OAB , essa EXCRESCÊNCIA perdeu de vez a credibilidade. Caramba! É LIVRE O EXERCÍCIO PROFISSIONALIZANTE DE QUALQUER TRABALHO. (ART.5-XIII CF). Não é da alçada da OAB e de nenhum sindicato avaliar ninguém. Avaliação do ensino é papel do Estado MEC e não de sindicatos. Criam-se dificuldades para colher facilidades triturando sonhos e diplomas gerando fome desemprego depressão síndrome do pânico doenças psicossociais e outras comorbidades diagnósticas uma chaga social que envergonha o país dos desempregados e dos aproveitadores que lucram com o trabalho análogo à de escravos a escravidão moderna da OAB. Vinte e cinco anos OAB vem se aproveitando dos governos omissos covardes e corruptos para impor sua máquina de triturar sonhos e diplomas gerando fome desemprego. Até agora OAB já abocanhou extorquindo com altas taxas de inscrições e reprovações em massa mais de UM BILHÃO DE REAIS sem nenhuma transparência sem nenhum retorno social sem prestar contas ao Egrégio TCU. Mas quem lucra com o trabalho análogo à de escravos a escravidão moderna da OAB não tem nenhum interesse em abolir essa EXCRESCÊNCIA. É por isso que todo Projeto de Lei de interesse dos mercenários da OAB são aprovados a toque de caixa e os contrários arquivados. Se OAB tivesse propósitos preocupada com a geração de emprego e renda e respeito à dignidade da pessoa humana já teria abolido a escravidão moderna.

Responder

Comentários encerrados em 18/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.