Consultor Jurídico

STF Cidadão

Supremo lança novo canal de comunicação direta com o cidadão

O Supremo Tribunal Federal lançou nesta terça-feira (8/9) mais um canal de comunicação direta entre o cidadão e o tribunal. Trata-se do STF Cidadão, uma plataforma viabilizada pela Central do Cidadão do STF que tem como objetivo aprimorar o relacionamento do Supremo com a sociedade.

STF
STF lança "STF Cidadão", um novo canal de comunicação direta com o cidadão

A nova plataforma facilita o acesso dos usuários a formulários eletrônicos para comunicação direta com a sociedade, além de permitir que informações sejam fornecidas de forma mais rápida e objetiva ao jurisdicionado.

Na nova página, há três opções de formulários para interação do cidadão com o STF: 

1. Serviços do tribunal e sua regularidade administrativa, para apresentar sugestão, elogio ou reclamação sobre serviços, atendimentos e produtos do STF, ou comunicar indícios de irregularidades em atividades administrativas do tribunal ou em condutas funcionais de seus servidores;

2.Acesso à Informação, para solicitar informações de interesse público contidas em sistemas informatizados, arquivos ou documentos do STF, nos termos da Lei de Acesso à Informação (Lei nº 12.527/2011); e 

3. Informações Processuais, para requerer informações sobre o trâmite de processos judiciais de natureza pública do STF e também para o atendimento especializado a advogados, onde podem obter auxílio e esclarecimentos quanto ao uso do peticionamento eletrônico, bem como para esclarecer dúvidas referentes a funcionamento, organização e serviços do Tribunal.

Outra novidade é que o interessado receberá um protocolo para poder interagir com a Central do Cidadão e acompanhar a situação da manifestação. Os novos documentos buscam seguir as boas práticas trazidas pelo Código de Defesa do Usuário de Serviços Públicos, com a apresentação de formulários simplificados e de fácil compreensão para a apresentação de manifestação. Com informações da assessoria de imprensa do STF.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 8 de setembro de 2020, 18h56

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 16/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.