Consultor Jurídico

Ganhou o sorteio

Alexandre é novo relator de inquérito sobre interferência de Bolsonaro na PF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, foi sorteado nesta terça-feira (20/10) para ser o relator do inquérito que apura se houve interferência do presidente da República, Jair Bolsonaro, no trabalho da Polícia Federal. Ele vai substituir Celso de Mello, que se aposentou.

O ministro Alexandre de Moraes vai substituir Celso de Mello no inquérito
Felipe Lampe

O sorteio foi promovido pelo presidente do STF, Luiz Fux, que atendeu a um pedido feito na semana passada pelo ex-juiz e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, que é investigado nesse mesmo processo. A defesa do ex-ministro desejava ver a substituição ocorrer rapidamente e alegou que não havia a necessidade de esperar pela posse do novo ministro para a realização do sorteio, tese que acabou sendo aceita por Fux.

O escolhido pelo presidente da República para ocupar a vaga de Celso de Mello no Supremo, Kássio Marques, será sabatinado pelo Senado Federal nesta quarta-feira (21/10). Para se tornar ministro do STF, o piauiense terá de ser aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e, posteriormente, pelo Plenário do Senado.

O sorteio realizado nesta terça repetiu uma situação vivida pelo STF em 2017, quando o ministro Teori Zavascki, que era o relator dos processos da "lava jato", morreu em um acidente aéreo. Antes que seu substituto, Alexandre de Moraes, chegasse à corte, o ministro Edson Fachin foi sorteado para ficar com a "herança" de Zavascki. Com informações da Agência Brasil e da Agência Senado. 




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de outubro de 2020, 20h37

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 28/10/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.