Consultor Jurídico

Comentários de leitores

2 comentários

Todos são iguais perante a lei!!!

José Guimarães (Professor Universitário - Trabalhista)

Se a cantora, enquanto ativista, faz defesa LGBTI+, deixem-na, e os que não comungam das mesmas ideias, ignorem o assunto, a defesa feita e ela própria.
Se a preferência dela é pelo mesmo sexo, e daí? Se a dos demais é pelo sexo oposto, e daí?
Continuar a discutir sobre esse tema demonstra o interesse de ambos os lados em manter polemizada uma discussão.
O que me chama a atenção é a necessidade de se prosseguir uma discussão sobre preferências sexuais. Parece que não têm outros assuntos a tratar.
Eu tenho a minha preferência e não fico debatendo com quem quer que seja sobre ela. Ora, é assunto meu e de mais ninguém. Sou casado, mas poderia ser solteiro. Fato é que ninguém conseguirá nesse texto, identificar o gênero da minha cara metade.
Vivo em sociedade, mas o que faço da minha vida é assunto particular. Por isso, não preciso exteriorizar o que faço em termos de relação afetiva entre 4 paredes ou mesmo em público.
Isso já encheu.

Responder

Opção de cada um

Gil Reis (Advogado Autônomo)

Perfeito meu caro José Guimarães (Professor Universitário - Trabalhista).
Cada um dá o que tem e está disposto a dar. A opção ou tendencia na escolha do genero para relacionamento intimo sexual é uma decisão pessoal. Fraude é oferecer o que não tem ou figir ser o que não é.

Comentar

É necessário se identificar fazendo login no site para poder comentar.
Não tem conta na ConJur? Clique aqui e cadastre-se!