Consultor Jurídico

Sem provas

Justiça arquiva investigação contra sócios de corretora denunciada na "lava jato"

A 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo arquivou, nesta terça-feira (13/10), inquérito policial contra os sócios da Corretora Pioneer por supostas irregularidades envolvendo lavagem de dinheiro em operações de transações cambiais investigadas na operação "lava jato".

Justiça Federal de SP arquivou investigação contra sócios de corretora
Reprodução

Os empresários foram acusados pelo delator Alberto Youssef de participar de negociações com as empresas Labogen.

Para João Medeiros da Silva Filho, sócio administrador da corretora, a decisão encerra um período difícil.

"Após longos anos de constrangimentos e prejuízos incalculáveis, enfim veio uma resposta da Justiça sobre aquilo que já se sabia desde o início das investigações em 2015: minha inocência. Não fosse a distorção de fatos feita pelo conhecido juízo de Curitiba, que já tinha verificado não cometimento de crime, certamente eu teria acordado antes desse pesadelo da investigação criminal."

A próxima etapa do processo se volta para as milionárias multas aplicadas pelo Banco Central contra a Corretora Pioneer e seus sócios. Em 2018, a empresa foi multada em R$ 89,9 milhões pelo Banco Central porque teria prestado informações falsas ao BC sobre clientes.

Para os advogados dos sócios da corretora, Leandro Sanchez Ramos e Rodrigo de Abreu Sodré Sampaio Gouveia, o peso da operação "lava jato" contribuiu para a mensuração dos valores das multas aplicadas pelo BC. Eles vão apresentar recurso fundamentado na ideia de uma errônea aplicação da lei.

5004910-46.2020.4.03.618




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 15 de outubro de 2020, 19h32

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 23/10/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.