Consultor Jurídico

Democracia em Vertigem

Defensor que entrou com ação contra Magazine Luiza pede afastamento

Programa de Trainees exclusivo para negros do Magazine Luiza foi alvo de ação de defensor público da União
Divulgação

O defensor público da União Jovino Bento Júnior pediu afastamento do trabalho e proteção policial. Ele se tornou nacionalmente conhecido por mover uma ação contra o programa de trainees exclusivo para negros da rede de lojas Magazine Luiza.

A informação é do jornal O Globo. Segundo documento obtido pelo periódico, Júnior afirmou que ele e sua família vêm sofrendo ataques e ameaças na internet.

A ação movida por Júnior contra a rede de lojas foi amplamente criticada por especialistas ouvidos pela ConJur e por colegas da Defensoria Pública da União.

“E em meio a esse caldo efervescente e sem qualquer intervenção ou providência, de qualquer destas instâncias, o ódio só cresceu. O que poderia ter sido evitado com a ação tempestiva e correta não o foi. E assim passei a receber ameaças de atentado contra a minha vida, tanto quanto contra a minha família”, diz trecho do documento.

No pedido, Júnior ainda faz duras críticas a ativistas e políticos do Partido dos Trabalhadores e afirma que estão tentando cercear sua autonomia funcional.

Ele também anexou ao pedido uma cópia de suposta ameaça feita a ele e critica a falta de apoio da Defensoria Pública da União.

"Nunca trabalhei, Exmo. Defensor Geral, em uma instituição tão desumana. Paradoxalmente aquela que se diz mais humanista. Isso é triste", alega.

Além da dispensa, manutenção do salário de R$ 24 mil mensais e proteção policial, Júnior também solicita uma nota de desagravo assinada pelo defensor público-Geral Federal, Gabriel Faria Oliveira.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 13 de outubro de 2020, 20h46

Comentários de leitores

25 comentários

Educação e estudo para quem?

Wagner Brito (Bacharel - Civil)

Com base no "nível de inteligência" e ignorância de alguns comentários, vê-se que o diploma e os estudos não serviram de absolutamente nada. Quão árduo deve ser a vida de um neuronio dentro dessas cabeças! Por outro lado, vai ver os diplomas até serviram de alguma mas o mau caratismo de berço chegou e disse "Aqui não, mano!"

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Do seu comentário vazio só se consegue depreender que você é presunçoso.

Pois é...

Afonso de Souza (Outros)

"Nunca trabalhei, Exmo. Defensor Geral, em uma instituição tão desumana. Paradoxalmente aquela que se diz mais humanista. Isso é triste"

Esclarecimentos

Flávia Emery (Engenheiro)

Vamos esclarecer algumas questões acerca do racismo estrutural em uma sociedade onde a maioria economicamente dominante é branca.
Acredito que muitos comentaristas tenham a pele branca, o que, impossibilita o entendimento real do racismo que galga nossa sociedade a tempos.
Para haver racismo, é necessário um grupo de pessoas, pela cor, ou outra característica física, serem subjugadas por um outro grupo que acredita ser superior, julgando, por exemplo, pela cor da pele.
As pessoas brancas, nunca foram subjugadas por outras raças, portanto, não existe racismo contra o branco.
Agora em atenção a matéria, vemos uma loja que quer equalizar as oportunidades dentro de sua empresa, visto que mais de 70% dos funcionários que ocupam um alto cargo são pessoas brancas, e, obviamente, só conseguirá isto abrindo oportunidades para as pessoas negras.
Aos que gostam de levantar a bandeira sobre o esforço pessoal do negro, vamos fazer as seguintes considerações acerca:
1 - poucas crianças negras tem acesso a um ensino de qualidade, e, a maioria, quando estuda, é através das escolas estaduais.
2 - A maioria das crianças negras passam fome na infância, o que, já comprovado cientificamente, atrapalha imensamente o aprendizado.
3 - existe uma predileção inconsciente, já comprovada, em associar competência a cor branca da pele e ao sexo masculino, resquício de nossa sociedade separatista.
Considerando apenas estes três aspectos, acredito que as pessoas negras, tem que fazer um esforço pessoal 1000 vezes maior do que uma pessoa branca para atingir o mesmo patamar, o que, referencia a injustiça da afirmação.

Corretíssimo

DireitonãoéJustiça (Advogado Assalariado - Civil)

Os brancos ao olharem seu post, vão ler: "privilégios para pretos!"... Eles só vêem isso!!!

Respondendo

Afonso de Souza (Outros)

Defina o que seria o 'racismo estrutural' e prove que isso existe no Brasil.
Diga como se pode determinar, objetivamente, quem é "negro" ou "branco" num país tão miscigenado. (Há pessoas "brancas" e "negras" filhas dos mesmos pai e mãe)
Crianças "negras" e "brancas" pobres têm as mesmas dificuldades relacionadas à má qualidade da alimentação e da educação (na verdade, ensino).

Então o processo seletivo anterior da Magazine, conduzido pela própria empresa ou por alguma outra a seu serviço, era discriminatório? Ora, ora...

Respondendo

Afonso de Souza (Outros)

ao DireitonãoéJustiça (Advogado Assalariado - Civil):

Vocês é que só veem (ou fingem ver) racismo em tudo e em todo lugar.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 21/10/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.