Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Inovador

Vinícius L. L. (Advogado Autônomo)

É um caos morar próximo a locais que há esse tipo de aglomeração. Você perde sua paz, e se reclama parece que você está errado. Vivemos em uma era de inversão de valores muito grande.
Quanto a parte jurídica, acredito que infelizmente o direito penal é o único capaz de combater a situação na qual se encontram esses pancadões, ora que todos os outros meios falharam em conter essa zona a céu aberto.

Excelente.

Igor Colber Lopes (Advogado Autônomo)

Artigo excelente! Bem escrito e com citações pertinentes. O tema é polêmico e deve ser debatido. Se considerarmos o barulho excessivo uma espécie de turbação possessória, por que não cogitar até o emprego do desforço imediato, a fim de restabelecer a paz e o silêncio?

Preconceito

Jaburu (Administrador)

O texto só faltou indicar o Exército, a Marinha e a Aeronáutica para acabar com os bailes. Outrora, foi os capoeiras e o samba o motivo de medo e, por consequência, tipificação penal se suas práticas. Ou seja, nada mudou neste país da negação.

Leniência

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Parte da sociedade, digo, alguns políticos e atores sociais de ONGs sempre tiveram leniência e parcimônia com esse tipo de problema porque residem bem longe. Lembro de um ativista em SP que ficou indignado quando o MP entrou com uma ação para manter o direito de um mendigo a permanecer na praça em frente a um condomínio de luxo num bairro super chique. Para esse extrato social vale sempre o direito de ir e vir, desde que bem longe de casa.

Comentar

Comentários encerrados em 9/10/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.