Consultor Jurídico

Dia de eleição

TRE-RJ aciona Polícia Federal por paralisação de ônibus no Rio de Janeiro

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro determinou a intervenção da Polícia Federal na paralisação dos rodoviários das viações Redentor e Futuro, que começou na madrugada deste domingo (29/11), dia de eleição em segundo turno na cidade.

Paralisação de ônibus no Rio prejudica o eleitor em dia de segundo turno

O movimento atingiu moradores das regiões de Jacarepaguá e da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. O tribunal considerou a paralisação ilegal. E os ônibus das viações voltaram a circular normalmente só a partir das 11h.

O protesto seria motivado pela decisão das empresas de dividir o pagamento do 13º salário em oito parcelas. Elas também não estariam recolhendo FGTS e INSS, entre outras reclamações, segundo o G1.

"Representa grave impedimento e embaraço às eleições. As lideranças do movimento serão responsabilizadas na forma da lei penal. A expectativa é que o funcionamento regular das linhas operadas pelas empresas de ônibus seja normalizado rapidamente."

Neste domingo, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) tenta a reeleição em disputa contra o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM). Com informações da Agência Brasil.

*texto atualizado às 12h deste domingo




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 29 de novembro de 2020, 10h47

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 07/12/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.