Consultor Jurídico

Ofensas e ameaças

Juíza ordena prisão preventiva de réus
que ameaçaram Alexandre de Moraes

Retornar ao texto

Comentários de leitores

7 comentários

Um absurdo

Luiz Carlos Perucia (Administrador)

Realmente é um verdadeiro absurdo,um tremendo descaso tais ações aristocratas,num país cujo indivíduo titular de uma cadeira como essa,se julga e se acha um "deus intocável" acima de qualquer coisa.
Mas esquece do passado, onde defendia os membros e interesses da maior facção do país.
Não tenho outra palavra para expressar, senão,o verdadeiro ASCO que exala dessa estirpe prepotente!!!

Para os inimigos do Rei a forca

Car.Borges (Bacharel)

Desproporcional a medida em relação ao crime em si, estamos em tempos em que se o crime for cometido contra o "Rei" ou a sua "Aristocracia" só resta a forca a estes "criminosos".

descumpriram a medida cautelar

Luiz_Antonio_Santos (Advogado Autônomo - Criminal)

descumpriram a medida cautelar, o advogado deles pode até conseguir a LP novamente, mas se descumprir a regra ´a prisão.

Potencial ofensivo.

Douglas Tadeu (Advogado Autônomo)

Delitos de menor potencial. Incluindo delitos de ação privada. Prisão preventiva? Fosse outro o ofendido, com certeza a diligência seria outra.

Noticia

Humberto d Avila Rufino (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

A ausência de identificação dos réus na notícia é uma espécie de 'auto censura' do articulista e não contribui para informar que a prática desse tipo de crime deve ser reprimida com severidade.

dois lados

Lincoln Silva (Advogado Autônomo - Civil)

interessante que as ameaças ao presidente da república não tem o mesmo "tom".

Correta conclusão, duvidosa fundamentação.

Tiago Martirena (Advogado Autônomo)

Bastava à magistrada fundamentar a prisão no parágrafo primeiro do art. 312. No entanto, quando a decreta para garantir a ordem pública, em razão da inefetividade das cautelares para fazer cessar a atividade delitiva e inibir a reiteração da conduta, acaba por ferir a presunção de inocência, realizando juízo prematuro de culpabilidade.

Comentar

Comentários encerrados em 3/12/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.