Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

corporativismo?

E.Rui Franco (Consultor)

o que mais !?

Toga não é colete!!!

bsirineu (Administrador)

Interessante frisar que o povo brasileiro é extremamente passivo. Chega às raias da indolência.
Somos sempre prejudicados pela morosidade judicial, e pela extrema cara de pau de alguns juízes que simplesmente conseguem o prodígio de emitir sentença sem ler a íntegra do processo.
Tive um processo em fase de liquidação de sentença, em que a "meritíssima" teve a audácia de nós mandar anexar o cálculo atualizado para depois homologar o acordo entre as partes.
Ocorre que tal cálculo já estava anexado, 5 páginas antes.
Tivemos que "informá-la" de que já estava lá, porém com todo o atraso que acontece na burocracia jurídica, até a secretária forense se dar ao trabalho de mandar publicar e subir para apreciação da juíza, levei 11 meses para receber meu crédito.
E eles se acham Deuses!!!
Tive um outro processo em que o Tribunal de segunda instância reformou sentença do juiz de primeira, tendo o relator que "mostrar" ao juiz a flagrante ilegalidade do ato da empresa. Fato que já havíamos fartamente demonstrado, mas o Sr. Juiz se fez de cego.
E ainda teve a audácia de nos ameaçar de multa caso recorressemos, alegando que seria considerado ato protelatório para não pagamento dos honorários do advogado da empresa.
Eles não tem medo de ser ridículos!!!

Essa é a nossa injustiça

Elaine Cristina Dantas Bastos (Outros - Civil)

Isso é o mais corriqueiro do que se parece, me lembro quando estagiava em.uma cara,criminal, u..advogado demorou aparecer e a juiza aconselhou o réu a mudar para a defensoria dizendo que os advogados eram imprestaveis e que ele fatalmente seria condenado com aquele causidico, nunca me esqueci disso, isso é o que o povo pobre passa, muitos inicebtes condenado pela estigma de serem pobres, aqui no Rio então, tribunal podre, até a defensoria que tem nojo de atender pobre está assumindo o papel de Ministerio Publico nas ações penais e condenado seus assistidos, entregando de mão cheia os réus nas mãos do MP, já peguei uns 100 casos assim, motivo de minha dissertação de mestrado. Uma lástima.

Poder absoluto

JCCM (Outros)

No sistema tripartite, em vigência no País, nenhum Poder é absoluto.

As decisões proativas de uma parcela dos Ministros da Corte Constitucional, travestidos de legisladores, somadas as omissões, a exemplificar, especificamente, quanto aos atos ilícitos praticados pelo então juiz federal na "república do Paraná", mais a morosidade na prestação jurisdicional, não raro provocadas por dolo, nos legaram um mar de temeridade.

Por isso, e só por isso, grande parcela da sociedade já não mais prima pelo respeito a tão essencial e valiosa função pública.

Essa é a justicinha brasileira (1)

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Infelizmente, isso não é um caso isolado. O conluio entre juiz e promotor parece ser um vezo visceral. Na década passada, um juiz federal me processou por eu ter denunciado esse estado de coisas nas minhas razões recursais. É a praxe diária dessa nossa justicinha tupiniquim, que prima pela desonestidade intelectual e pela covardia.
Não tenho dúvidas de que a advogada será alvo de covardes retaliações veladas por ter gravado a juíza e a promotora. Essas podem até ser afastadas, coisa que se espera seja feita a bem da moralidade da Justiça. Mas os juízes, salvo raríssimas exceções, não perdoam aquele que os expõe à verdade. Retaliam. Prejudicam sempre que podem, sem jamais assumir suas verdadeiras intenções, mas usando fundamentos falaciosos para encobrir a real motivação.
Nossa justiça, ressalvadas raras exceções, é composta por pessoas que julgam sem compromisso ético com a moralidade da Justiça, sem compromisso com a lei e a constituição, cujos ditames são sempre contornados para fazerem valer a vontade pessoal do julgador e não a vontade objetiva da lei.
Aplicar a lei requer uma grandeza moral que poucos possuem, pois não raro exige a adoção de soluções contrárias ao que o juiz acha que deve ser. Nossos juízes prodigalizam o argumento de autoridade mesmo quando inaplicável, e não hesitam proferir decisões em causa própria para aumentar os poderes em que estão investidos, o que acarreta não prestarem a tutela jurisdicional como ela deve e a sociedade espera que seja prestada.
(continua)…

Essa é a justicinha brasileira (2)

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

2(continuação)…
Para nos tornarmos uma democracia de verdade é preciso passar nossa Justiça a limpo. Reformulá-la desde a forma de recrutamento dos juízes, até a maneira como se conduzem e encaram o cargo que ocupam, e acabar com esse sistema de castas de privilegiados que fazem o que bem entendem sem dar satisfação a ninguém, muito menos à sociedade.

(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Concurso dado

Elaine Cristina Dantas Bastos (Outros - Civil)

Caro colega, isso nunca ira acontecer se o povo não acordar, o tribunal de justica é um órgão familiar, só passa para juízes quem é filho, neto, bisneto, mulher, sobrinhos e amantes de juízes das antigas ou desembargador, só olhar os sobrenomes dessa turma toda, nem pela janela se entra mais.

Comentar

Comentários encerrados em 2/12/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.